09/08/2017 - 14h24

Projeto permite formação de condutor por instrutor sem vínculo com auto-escola

Vinicius Loures / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre o novo Bureau de Crédito formado pelos Bancos Bradesco, Banco do Brasil, Santander, Caixa Econômica Federal e Itaú Unibanco. Dep. Severino Ninho (PSB-PE)
Severino Ninho: mais uma alternativa para a atividade de autônomo 

A Câmara analisa o Projeto de Lei 7484/17, do deputado Severino Ninho (PSB-PE), que permite a formação de condutores de veículos automotores por instrutores autônomos, sem vínculo com auto-escolas.

Como consequência dessa permissão, o projeto modifica a inscrição obrigatória dos automóveis de aprendizagem, trocando a “auto-escola” por “aprendizagem”.

O deputado justifica sua proposta citando o grande número de desempregados existentes hoje no Brasil – cerca de 13 milhões. “Frente à escassez de empregos, muitos têm se lançado ao empreendedorismo e atividades autônomas”, afirmou Ninho, argumentando que essa atividade seria uma alternativa a mais para os desempregados que querem se tornar autônomos.

Conforme a proposta, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamentará o credenciamento para prestação de serviço por instrutores-autônomos, pelas auto-escolas e outras entidades destinadas à formação de condutores e às exigências necessárias para o exercício das atividades de instrutor e examinador.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Wilson Silveira
Edição - Rosalva Nunes

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Vilmar becker | 22/05/2019 - 16h17
CONTINUO MEU PENSAMENTO, RESOLUÇÕES SÃO MUTÁVEIS, REVOGÁVEIS, UM BOM ENTENDEDOR SABE DISSO, EM RELAÇÃO A EDUCAÇÃO O QUE MUDOU DESDE 1998 COM AS RESPONSABILIDADES SOBRE AS CFCs? NÃO TENHO NADA CONTRA EXISTIR CFCs, MAS ACREDITO QUE O PROFISSIONAL MERECE UMA CHANCE DE MOSTRAR AUTONOMAMENTE QUE É CAPAZ DE FAZER MAIS E MELHOR, E SER RECONHECIDO PELO SEU PROFISSIONALISMO QUE PODE FAZER A DIFERENÇA NO TRANSITO, É FÁCIL VOMITAR A FAVOR DAS CFCs SEM OLHAR QUEM REALMENTE É O AGENTE DE MUDANÇA, DESVALORIZADO E MAL PAGO, ENQUANTO OS EMPRESÁRIOS ANDAM COM SUAS MÁQUINAS PODEROSAS SEM SE PREOCUPAR COM NADA..
Vilmar becker | 22/05/2019 - 15h59
SENHORES, SOU INSTRUTOR TECNÓLOGO EM SEGURANÇA NO TRANSITO, FORMADO PELA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA, QUANDO AFIRMO QUE EM NADA MUDARIA O ASPECTO DE FISCALIZAÇÃO DO DETRAN EM UM INSTRUTOR PODER EXERCER SUA FUNÇÃO DE MANEIRA AUTÔNOMA, NÃO VEJO AQUI NENHUMA RELAÇÃO COM QUALIDADES DE CFCs, QUE A MEU VER COMO PROFISSIONAL VISAM O LUCRO, SOU INSTRUTOR DESDE 2009 E NÃO VI NADA MUDAR EM RELAÇÃO AO PROFISSIONAL, SOMENTE COBRANÇAS, SALÁRIOS, SE OS CONTRÁRIOS A TAL PROPOSTA NUNCA ESTUDARAM O ASSUNTO SALARIO DE INSTRUTOR, SUGIRO QUE LEIAM ARTIGOS E PESQUISEM SINDICATOS, ONDE ESTES EXISTIREM!
Iolanda | 10/04/2019 - 19h27
O ministro nica deve ter frequentado uma auto escola. Eles esquecem que as micro empresas empregam milhares de pessoaspagam impostos caríssimos e tem compromisso com a sociedade. UM autônomo não tem essa responsabilidade, visando somente seu bem estar. E urgente a necessidade desses governantes enxergarem o trânsito com a seriedade que necessita. Apresenrem uma solução pra reduzir as 50.000 mil.mortes anualmente no Trânsito senhores!!!! Se bem que é extremamente lucrativo esse índice de mortandade no Trânsito, de funerária a clínica de reabilitação todos lucram muuuuito.