13/09/2012 - 18h02

PEC exige diploma para exercício da profissão de jornalista

Proposta foi aprovada pelos senadores no último dia 7 de agosto e, agora, aguarda análise na Câmara.

A Câmara analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 206/12, do Senado, que torna obrigatória a exigência de diploma de curso superior de jornalismo para o exercício da profissão.

O texto dispensa o diploma para o colaborador – aquele que, sem relação de emprego, produz trabalho de natureza técnica, científica ou cultural, relacionado à sua especialização.

Além disso, o diploma não é exigido para quem comprovar o efetivo exercício da profissão antes da data da promulgação da emenda constitucional nem para o jornalista provisionado que já tenha obtido registro profissional.

De acordo com o autor da proposta, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), uma das consequências da não obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da profissão seria a rápida desqualificação do corpo de profissionais da imprensa no País. “Empresas jornalísticas de fundo de quintal poderiam se proliferar contratando, a preço de banana, qualquer um que se declare como jornalista”, observa.

Em junho de 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a necessidade de diploma para jornalistas.

Tramitação
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) vai analisar a PEC 206/12 quanto à admissibilidade. Se for aprovada, será criada uma comissão especial para analisar o mérito da PEC, que ainda deverá ser votada em dois turnos pelo Plenário.

Também tramita na Câmara a PEC 386/09, do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que restabelece a necessidade de curso superior específico para jornalista. A PEC foi aprovada por comissão especial em julho de 2010 e, desde então, aguarda inclusão na pauta do Plenário.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Oscar Telles
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Marcos Figueiredo | 15/09/2012 - 12h51
A Câmara dos deputados não deve incluir na constituição Federal assuntos relativos apenas a uma classe de trabalhadores especificamente. E os outros jornalistas que exercem a profissão sem diploma? E todos os jornalistas que exerceram a profissão sem diploma? Se assim for aprovada, qualquer pessoa que publicar um artigo ou uma opinião poderá se processado por exercício ilegal de profissão e para se publicar um simples comentário terá que contratar um Jornalista para fazê-lo. Esta emenda fere clausulas petreas da Constituição Brasileira.
Luiz Carlos de Azeredo Coutinho | 14/09/2012 - 15h48
Jornalismo de qualidade não depende de habilitação específica, mas de SENSIBILIDADE, CONDUTA ÉTICA, CONHECIMENTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA E FORMAÇÃO MORAL E CÍVICA. O que tem de jornalistas analfabetos, egocentristas, venais e imorais com diplomas superiores em Comunicação Social não está no gibi!!!