27/10/2011 - 16h17

Câmara aprova multa para empresa que discriminar mulheres em relação a salário

Leonardo Prado
Gabriel Chalita
Gabriel Chalita: Constituição proíbe diferença de salários por motivo de sexo.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou na quarta-feira (26) o Projeto de Lei 6393/09, do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que estabelece multa para empresa que pagar salários menores às mulheres do que aos homens ocupantes da mesma função.

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, já havia sido aprovada pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. Agora segue para a análise do Senado, a não ser que haja recurso para votação no Plenário da Câmara.

Segundo o texto, a multa será correspondente a cinco vezes a diferença salarial verificada em todo o período do contrato.

O relator, deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP), defendeu a aprovação do projeto. Ele destacou que a Constituição prevê igualdade de todos perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. “A nossa Carta Magna ainda determina proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil”, disse.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Jaciene Alves
Edição – Daniella Cronemberger

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Felipe | 28/10/2011 - 01h52
Engraçado que nunca há a menção da discriminação dos homossexuais, transexuais e travestis. Parece que os deputados ocultam essas pessoas quer por motivo preconceituoso, quer por medo de perda de popularidade diante da sociedade conservadora.
ELINE LACERDA DE SOUZA | 27/10/2011 - 17h08
aracati-ce 26 de outubro 2011. igualdade pra todos sem distinção de raça, cor,religião.justo justisimo.nos mulheres fazemos as coisas melhores que os homens ,não generalizando nem um nem outro.