14/10/2010 - 11h04

Projeto proíbe venda de jogos violentos a menor de 18 anos

Arquivo - Gilberto Nascimento
Sueli Vidigal: os jogos não levam em conta nenhum valor moral.

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 7319/10, da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES), que proíbe a locação e a venda de videogames que contenham cenas de violência a menores de 18 anos. Pela proposta, o estabelecimento comercial que descumprir a lei perderá o alvará de funcionamento.

A autora argumenta que, nos Estados Unidos, alguns estados já impõem restrições à venda de videogames que contenham cenas de violência. "Alguns desses jogos causam horror até em adultos. Eles banalizam a violência e mostram cenas  chocantes da forma mais explícita. Não levam em conta nenhum valor moral ou ético e podem produzir distúrbios psicológicos nos menores", disse a deputada.

Tramitação
A matéria tramita em conjunto com o PL 5712/05, que proíbe a comercialização e a locação de jogos eletrônicos que contenham cenas de violência contra policiais.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Oscar Telles
Edição - Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Jefferson Nogueira de Oliveira | 14/03/2019 - 18h05
Vão proibir a venda de revistas em quadrinho, filmes, séries, novelas, peças de teatro, obras de arte, museus também? Estudos recentes e recheados de metodologia cientifica provam que não há ligação de jogos e violência real. A atual indicação do ministério da justiça é mais do que suficiente. Ainda aviso que deveríamos ter pessoas capazes de avaliar os conteúdos dos jogos digitais, uma equipa multidisciplinar e talentosa. Não um bando de político com o intuito de iludir o povo.
josé luiz levy | 18/10/2010 - 14h20
Excelente o projeto. Não consegui votar. Agradeceria que me informassem o porquê de não me ser possível votar.
Renata | 18/10/2010 - 14h18
Parabéns Deputada! Esse projeto representa a preocupação com nossas crianças. Esse projeto visa resguardar da violência explícita aqueles que devem ser protegidos de cenas de violência, evitando assim a indução de tal comportamento. Sou terminantemente a favor dessa propositura.