07/04/2010 - 14h46

Jobim diz que escolha dos caças é decisão política

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse há pouco na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional que a escolha do modelo dos 36 caças que o País pretende comprar é uma decisão política. Ele afirmou que a função do ministro da Defesa nesse processo é apenas indicar o que tem ou não os requisitos necessários para a compra.

" O que vale mais para o Brasil: pagar mais e ter autonomia ou pagar menos e não ter autonomia tecnológica?", disse o ministro, em referência à proposta dos aviões Rafale franceses [da Dassault], que prevê a transferência de tecnologia para o País.

Mais cedo, o ministro havia dito que a proposta francesa é a mais "consistente", embora não tenha divulgado qual será o modelo escolhido. Também competem o sueco Gripen, da Saab, e o norte-americano F-18, da Boeing. Jobim reafirmou que o processo de aquisição dos caças não se trata apenas da compra de aeronaves, mas de permitir que o País adquira tecnologia para a construção de aviões supersônicos.

Ele disse que os deputados não vão ter acesso ao relatório da Defesa sobre os caças, antes de ele ser entregue ao presidente da República. "É para evitar que haja lobby das concorrente", afirmou. O relatório será entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana que vem.

O ministro continua respondendo às perguntas dos parlamentares, no plenário 3.

Continue acompanhando esta cobertura.