07/05/2019 - 17h55

Informatização da saúde é defendida em audiência pública

A paralisação nos processos de integração e informatização de sistemas dos serviços de saúde foi criticada pelo deputado e ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP-PR). Ele participou de audiência pública da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara nesta terça-feira (7).

“A informatização da saúde é fundamental e pode economizar R$ 20 bilhões por ano, ao evitar a repetição de consultas, exames e dar eficiência à entrega de medicamentos e mais precisão aos diagnósticos. Mas o processo está paralisado há dois anos. O TCU não pode paralisar o Brasil. O gestor foi eleito para isso e tem que responder se houver irregularidade”, disse.

O secretário-geral adjunto de Controle Externo do TCU Marcelo Luiz Souza da Eira admitiu a necessidade da implantação do sistema de integração dos órgãos de saúde, mas defendeu a medida que suspendeu o processo licitatório.

“Esse processo é necessário e extremamente relevante, mas precisa ser feito dentro da legalidade. Não podemos correr o risco de gastar o recurso e no final deixar o cidadão desassistido. O TCU encontrou vários indícios de irregularidade, inclusive possível preço excessivo de R$ 6 bilhões, por isso determinou cautelarmente a suspensão do processo e pediu informações, que não foram integralmente fornecidas até hoje”, explicou.

Ouça esta reportagem na Rádio Câmara
Reportagem - Antonio Vital e Lincoln Macário
Edição - Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'