03/10/2018 - 19h44

Publicada lei que prioriza atendimento no IML a mulheres vítimas de violência

Foi sancionada nesta quarta-feira lei (13.721/18) que dá prioridade no exame de corpo de delito às mulheres vítimas de violência doméstica, às crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência. Esse exame, feito por médicos periciais no Instituto Médico Legal (IML), é fundamental para identificar lesões em vítimas de violência.

Fotolia - Artem Furman
Direitos Humanos mulheres violência mulher
Mulheres vítimas de violência doméstica passarão a ter atendimento prioritário no IML

A proposta foi apresentada pelo deputado Sandes Júnior (PP-GO) na forma do projeto de lei 235/11, que altera o Código de Processo Penal. O deputado destaca a necessidade de priorizar o atendimento a essas vítimas.

"É uma questão de bom senso, não precisava nem de lei. Mesmo o IML estando lotado, qualquer pessoa vai reparar que a criança, o idoso e a mulher têm realmente que ter prioridade."

O exame de corpo de delito reúne um conjunto de elementos materiais ou vestígios indicativos da prática de um crime e pode elucidar e produzir provas para identificar o autor da violência.

Para a advogada e promotora legal popular Lívia Gimenes, a proposta é positiva, inclusive na sua abrangência. No entanto, ela ressalta que a comissão parlamentar mista de inquérito que investigou a violência contra as mulheres apontou outros problemas. Um deles é a falta de preparo e de sensibilidade dos profissionais no atendimento

"Também existe falta de estrutura de muitos desses institutos, a ausência inclusive desses institutos em muitas cidades, especialmente no interior dos estados."

Reportagem – Newton Araújo
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'