04/08/2014 - 21h08

Projeto exige exposição de lista de remédios do programa Farmácia Popular

Dep. sueli vidigal
Sueli Vidigal: a publicidade é necessária para ampliar o acesso da população menos favorecida aos remédios.

As farmácias que participam do programa Farmácia Popular podem ser obrigadas a afixar uma publicação com os nomes dos remédios disponibilizados com desconto. A medida está prevista no Projeto de Lei 6748/13, da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES).

O Farmácia Popular é um programa do governo federal que oferece medicamentos com descontos de até 90% em drogarias privadas, por meio repasses do Ministério da Saúde. Remédios contra hipertensão e diabetes, além de contraceptivos, por exemplo, estão disponíveis pelo programa.

“Apesar de estarem preparadas para auxiliar a população menos favorecida com a distribuição de um grande número de remédios, as farmácias que participam do Farmácia Popular acabam não atingindo todo o contingente possível, por desinformação da população. A publicidade é necessária para que o programa atinja de forma otimizada seus objetivos”, argumenta a deputada.

Tramitação
A proposta, que tramita de forma conclusiva, será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carolina Pompeu
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Denis Corrêa | 08/08/2014 - 16h26
Leiam o diário oficial na portaria sobre o programa do Farmácia Popular e verão que já é obrigatório a exposição da lista de medicamentos. PORTARIA Nº 971, DE 15 DE MAIO DE 2012
Marianna Souza | 06/08/2014 - 12h42
Farmácia popular fornece medicamentos ruins. Minha tia, mae, todos os amigo(a)s do grupo 3ª Idade de 2 cidades, todos com 1 salário mínimo de aposentadoria precisam tomar Condroitina e Glucosamina em uso contínuo, + anti-hipertensivo + antidepressivo (as dores articulares afetam o emocional). E não recebem! A medicação melhor para elas seria atenolol 50 mg + cortalidona de 12,5, mg 2 X ao dia, mas recebem atenolol ou propranolol e hidroclorotiazida, que causa MUITAS câimbas. Não recebem antidepressivo, nem condroitina e glucosamina que são caríssimos e seria de extrema importancia!
Robson | 05/08/2014 - 14h24
Dentre os materiais de publicidade disponibilizados pelo Ministério da Saúde para as farmácias e drogarias, existe um cartaz de fixação OBRIGATÓRIA que contém todos os medicamentos que fazem parte do Farmácia Popular com os respectivos valores. Este Projeto de Lei não estria querendo obrigar o que já é obrigatório?