14/05/2019 - 17h15

Líder do governo diz que ministro da Educação é preparado e cobra diálogo com base

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), disse que a eventual convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para ir a Plenário falar sobre cortes na pasta não é “agradável” e que vai reconstruir o diálogo para aprovar a estrutura ministerial do governo Bolsonaro (MP 870/19) antes do prazo final de 3 de junho.

“O ministro [da Educação] é preparado para falar sobre o assunto. A convocação não é agradável, mas é do jogo democrático e, se a maioria quiser convocá-lo, ele virá”, afirmou.

Sobre a obstrução dos líderes à votação de medidas provisórias nesta semana, o que compromete a análise da MP 870, a líder comentou que fica o recado de que as votações são construídas no diálogo. Ela acrescentou que declarações contrárias de deputados que discutiram a MP na comissão especial comprometeu a votação.

Entre as polêmicas decididas na comissão estão a mudança no Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Economia e a volta da Funai e das competências sobre demarcação de terras indígenas para o Ministério da Justiça.

“[A obstrução] não é surpresa porque declarações no meio do caminho desgastaram a relação e é preciso recomeçar. Aqui se constrói com diálogo ou não se constrói. Na canelada, na ameaça, a coisa não caminha. Já se passou o recado”, declarou Hasselmann.

Ela afirmou que ainda é possível votar a medida antes de junho. “Ainda dá tempo, mas fica apertado. Tem de fazer o esforço na semana que vem para um mutirão de votação de MPs”, reconheceu.

Mais informações a seguir