07/02/2019 - 19h59

Líder do SD defende controle nos gastos para garantir desenvolvimento

Deputado Augusto Coutinho afirma que a bancada do partido está coesa e adotará posição neutra em relação ao governo

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Reunião ordinária. Dep. Augusto Coutinho (SD - PE)
Augusto Coutinho quer prioridade para a reforma da Previdência

O novo líder do Solidariedade (SD), deputado Augusto Coutinho (PE), afirmou que a bancada está coesa e interessada em votar grandes temas de interesse da sociedade.

Segundo o parlamentar, o fato de o partido adotar uma posição neutra em relação ao governo irá permitir que cada proposta seja analisada em seu mérito e votada de acordo com um consenso entre seus deputados.

Coutinho afirmou que está otimista com as propostas apresentadas até agora pelo governo. Ele defendeu austeridade nos gastos para garantir o desenvolvimento do Brasil.

"É importante que se diminua o tamanho do Estado brasileiro, que se enxugue e se otimize essa máquina. Aí eu não tenho dúvidas de que se equilibra as contas, de que o País começa a crescer e, de fato, a gente vai angariar os recursos dos impostos do povo brasileiro diretamente para o interesse do povo brasileiro, que é melhoria da saúde, da educação e da infraestrutura do País", disse o deputado.

Reforma da Previdência
Augusto Coutinho também defende prioridade para a votação da reforma da Previdência. Na opinião do deputado, a reforma é necessária porque, atualmente, o sistema privilegia quem ganha mais.

"A gente precisa fazer com que a Previdência seja justa para os brasileiros e, por isso, precisa urgentemente ser mudada. O deficit é muito grande, o Brasil não aguenta mais e, se não enfrentarmos essa questão, corremos o grave risco de que as pessoas não consigam receber as aposentadorias que têm direito", declarou.

O Solidariedade elegeu 13 deputados federais. Na legislatura passada, o partido tinha 11 representantes na Câmara dos Deputados.

Reportagem – Mônica Thaty
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

André Sarmanho | 08/02/2019 - 12h51
Concordo o o Sr. líder do Solidariedade, deputado Augusto Coutinho (PE). Nosso País jamais vai crescer e se tornar desenvolvido e rico se se continuar com essa política de distribuição do orçamento público para empresários, particulares, organizações não governamentais e etc... que atualmente estão substituindo as funções básicas do Estado e cobrando valores exorbitantes pela prestação de serviços públicos que são, infraestruturalmente e estruturalmente, funções de prestação direita do Estado e jamais de particulares: Educação, saúde, energia, transporte, moradia,segurança pública,etc....