07/10/2018 - 18h07

TSE está aprendendo a lidar com 'fake news', diz Rosa Weber

Em entrevista coletiva nesta manhã, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, reafirmou o empenho do tribunal no combate às fake news. Ela lembrou que todos estão aprendendo a lidar com as notícias falsas e que a atuação da corte eleitoral para enfrentar o problema é verificável em diversas iniciativas tomadas pelo TSE desde as gestões dos ministros Gilmar Mendes e Luiz Fux.

“O TSE está entendendo esse problema que não é exclusividade do Brasil. Nossos ministros auxiliares de propaganda estão desempenhando uma tarefa profícua no exame dos processos que chegam a esse tribunal. O Judiciário está se debruçando sob o tema para os devidos encaminhamentos e penalizações legais”, disse a ministra.

Confiança
A presidente do TSE reafirmou a confiança nas urnas eletrônicas. “Nosso processo de votação eletrônico é confiável. Ele foi aperfeiçoado ao longo de 22 anos e hoje temos um sistema ágil, seguro e, o mais importante, auditável, o que nos garante a verificação de uma eventual fraude”, concluiu.

A procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, também participou da coletiva. Ela falou sobre a organização do pleito e assinalou que não há improvisos no curso das eleições. Dogde informou que há, nos estados, 27 procuradores regionais eleitorais e 54 integrantes da Procuradoria Geral Eleitoral encarregados de acompanhar a propaganda no País, além de três mil promotores de Justiça convocados para atuar como promotores eleitorais.

Ela lembrou que o trabalho intenso e regular do TSE e de todos os órgãos envolvidos na realização das eleições assegura a livre expressão dos candidatos e o voto livre do eleitor. “A Justiça Eleitoral é uma instituição de excelência que orgulha todos os brasileiros. Todo o eleitor brasileiro terá assegurado o exercício do voto com liberdade, de acordo com sua consciência e escolha”.

Reportagem - Silvia Mugnatto
Edição - Geórgia Moraes
Com informações do TSE

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'