21/02/2014 - 14h48

Partidos da base aliada se unem por pauta independente do governo

Líderes de oito partidos aliados e um da oposição se reúnem para definir pauta comum de votações a partir da semana que vem.

TV CÂMARA
Dep.  Moreira Mendes (PSD-RO)
Moreira Mendes: "A Câmara tem que ser respeitada".

Os principais partidos da base aliada ao governo na Câmara dos Deputados, com exceção do PT e do PCdoB, articulam a formação de um bloco informal para propor a votação de projetos independentemente da vontade do governo.

Além de PMDB, PP, PSD, PSC, PDT, PTB, PR e PROS, também participa do grupo o oposicionista Solidariedade (SDD).

Na primeira reunião, o tom entre os integrantes do bloco foi de insatisfação com a maneira como o governo tem tratado as bancadas, como exemplificou o líder do PSD, deputado Moreira Mendes (RO).

"Não é rebelião contra o governo. Ninguém está lá para dizer que ‘aqui não se faz mais nada’. Nós queremos um tratamento diferente, respeitoso. Assim como a gente respeita o Executivo, o Executivo tem que respeitar também a Câmara dos Deputados”, disse.

Mendes destacou que encontra até dificuldade para conversar com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, responsável pela articulação política do governo.

“Vou dar exemplo. Assumi a liderança do meu partido no dia 4 de fevereiro. No dia 5 de fevereiro, pedi audiência com o ministro-chefe da Casa Civil. Nós estamos no dia 21 de fevereiro e eu mal consegui falar duas vezes com o chefe de gabinete dele”, afirmou Moreira Mendes.

Pautas
Anfitrião do encontro, o deputado Luiz Fernando Faria (PP-MG) destacou que os partidos do chamado bloco informal querem dividir com o governo e o PT a definição das pautas de interesse do País.

Ele informou que uma próxima reunião já está marcada para terça-feira (25), dia em que tradicionalmente acontece também a discussão da pauta da semana entre o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e os líderes de todos os partidos com representação na Casa.

"Nós queremos é discutir a pauta, é ver os projetos de interesse do Brasil e não apenas projetos de interesse só do governo e do PT”, disse Luiz Fernando Faria.

O deputado ressaltou que o presidente da Câmara participou da reunião dos partidos da base aliada. “Ele assumiu o compromisso de discutir sempre a pauta, porque nós sabemos que a prerrogativa da pauta é do presidente da Câmara. Mas, nesse caso, ele tem um compromisso conosco de discutir a pauta que serve para ser votada na semana”, disse.

Luiz Alves
José Guimarães
José Guimarães, vice-líder do governo, acredita no diálogo para resolver tensão com os aliados.

O deputado José Guimarães (PT-CE), vice-líder do governo, aposta no diálogo para reverter possíveis tensionamentos entre o PT e os demais partidos da base, sobretudo o PMDB.

"Acho pouco provável que se forme bloco contra o PT. Acho que isso não é razoável pelo nosso papel, a nossa força, enfim, a política que a bancada do PT empreende com os aliados na Câmara”, disse.

“Temos que conversar com o presidente da Casa, com o Eduardo Cunha [líder do PMDB], para não deixar que essas futricas interditem o diálogo que sempre é necessário, sobretudo com o PMDB”, disse Guimarães.

A reportagem tentou contato com o líder do PMDB, mas não obteve retorno.

Reportagem – Ana Raquel Macedo
Edição – Dourivan Lima

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'