21/06/2013 - 18h12

Manifestantes protocolam pauta de reivindicações na Câmara e no Senado

Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados
Funcionários fazem a limpeza em frente ao Congresso Nacional, após manifestação na noite de ontem
Funcionários limpam gramado em frente ao Congresso após protestos de ontem.

Sete manifestantes que participaram dos protestos de quinta-feira (20) voltaram ao Congresso nesta sexta-feira (21) para protocolar uma pauta com 13 reivindicações colhidas durante a manifestação. Eles entregaram o documento no protocolo administrativo do Senado, no protocolo da Presidência da Câmara, na Comissão de Legislação Participativa desta Casa e também foram recebidos pelo diretor-geral da Câmara, Sérgio Sampaio.

Os jovens afirmaram que se conheceram ontem na manifestação e decidiram apresentar uma pauta comum para dar um foco à reivindicação. O estudante Clay Zeballos ressaltou que o grupo é apartidário e não tem a intenção de se tornar lideranças do movimento. Ele espera que o diretor-geral apresente as reivindicações aos parlamentares. “Gostaríamos que os parlamentares nos procurassem. Como somos apartidários, não seria interessante procurá-los, mas, sim, o contrário”, disse.

Reivindicações
Os manifestantes também pretendem protocolar o documento no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Presidência da República. O texto traz 13 reinvindicações: rejeição das PECs 33, que submete decisões do STF ao Congresso, e 37, que limita o poder de investigação do Ministério Público; fim do voto secreto parlamentar; mais investimentos para a saúde, educação e segurança; CPI para apurar o superfaturamento das obras da Copa; por um estado laico efetivo; cassação e prisão dos envolvidos no mensalão; tornar a corrupção um crime hediondo; fim do foro privilegiado; retirada de Renan Calheiros da Presidência do Senado; veto ao ato médico; melhorias imediatas no transporte público; redução salarial dos parlamentares; voto facultativo.

A manifestação de ontem reuniu cerca de 30 mil pessoas em Brasília. Os protestos começaram pacíficos, mas no final da noite o clima ficou tenso quando manifestantes quebraram vidraças e invadiram o Palácio do Itamaraty e tocaram fogo em uma estrutura metálica montada no canteiro central da Esplanada dos Ministérios. Paradas de ônibus, placas e até a Catedral foram depredadas.

Está marcado um novo protesto para este sábado (22). Por isso, a visitação ao Congresso está suspensa.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Daniel Candido | 25/06/2013 - 09h33
Seria ingenuidade pensar que as forças militares são para defender a ordem e a população,se assim o fosse os saqueadores da nação que se protegem com seus mandatos entrincheirados nos palácios já estariam presos
Odivaldo Rodrigues Nunes | 25/06/2013 - 09h16
E OS APOSENTADOS QUE PARA SOBREVIVEREM OU TENTAR TER UMA VODA DIGNA TEM QUE CATAR LATINHAS PARA TER UMA RENDA EXTRA, ENQUANTO NOSSOS PARLAMENTARES EM MENOS DE SEGUNDOS APROVAM DE QUANTO SERÁ SEUS REAJUSTES ISTO É SEMPRE NA CAMUFLAGEM. VAMOS COLOCAR EM PAUTA ESTA POUCA VERGONHA QUE É NOSSA JUSTIÇA COM AQUELES QUE JÁ FIZERAM MUITO POR ESTE PAÍS.(REAJUSTE CONFORME O SALÁRIO MINIMO E DEVOLUÇÃO DE TUDO QUE NOS FOI ROUBADO)
Valmor | 25/06/2013 - 07h50
E os deputados que assinaram contra o projeto da desaposentadoria, estão dormindo? Deputados que cuspiram no prato que comeram, como fez o lula.