23/06/2010 - 20h09

Câmara aprova mudança na ordem de nomes na urna eletrônica

Deputado federal será o primeiro cargo a ser votado, como acontecia nas eleições anteriores. O TSE havia decidido, em 2008, que os nomes dos candidatos a deputados estaduais passariam a ser os primeiros a aparecerem na urna.

Arquivo - Gilberto Nascimento
Milton Monti: objetivo é evitar dificuldades para o eleitor.

O Plenário aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 7522/10, do deputado Milton Monti (PR-SP), que muda a ordem de aparecimento dos candidatos na urna eletrônica. A matéria ainda precisará ser analisada pelo Senado.

Até dezembro de 2008, o deputado federal era o primeiro cargo a ser votado na urna eletrônica, mas uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mudou a sequência para que o deputado estadual passasse a figurar em primeiro lugar. O projeto de Monti inverte novamente essa ordem.

Os demais cargos permanecem na sequencia igual à estabelecida pelo TSE: senador e suplentes; governador e presidente da República.

Urnas programadas
Antes da votação, o presidente Michel Temer informou ao Plenário que recebeu uma ligação do presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, na qual manifestou preocupação com a mudança proposta pelo Parlamento. Isso porque, segundo Lewandowski, já existem 400 mil urnas programadas com a configuração estabelecida pelo tribunal.

De acordo com Milton Monti, o objetivo do projeto é manter a tradição já adotada nas outras eleições. "Não entendemos a utilidade da mudança feita pelo TSE, que colocou os deputados estaduais em primeiro lugar. É evidente que isso traria dificuldades para o eleitor", argumentou.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – João Pitella Junior

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'