22/07/2019 - 11h47

Proposta exige químico para atestar qualidade da água em piscina

Najara Araujo/Câmara dos Deputados
Sessão extraordinária para discussão de diversos projetos. Dep. Carlos Henrique Gaguim (DEM - TO)
Gaguim quer evitar a transmissão de doenças como hepatite, febre tifóide e cólera

O Projeto de Lei 3174/19 exige que estabelecimentos públicos ou privados com piscina tenham um químico como responsável técnico pela qualidade da água e por elaborar boletins analíticos, que ficarão à disposição do público e deverão ser mantidos arquivados por um ano, para fiscalização. O infrator será multado em R$ 2,5 mil. Na reincidência, haverá interdição da piscina.

A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados. “As águas das piscinas podem se tornar meio propício para a transmissão de doenças como hepatite, febre tifóide, cólera e leptospirose caso não haja tratamento adequado”, disse o autor, deputado Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO).

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'