27/05/2019 - 17h31

Projeto revoga lei que declarou Paulo Freire patrono da educação

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Cerimônia Pelo Brasil e contra a Corrupção. Dep. Heitor Freire (PSL - CE)
Heitor Freire considera catastrófica a influência de Paulo Freire

O Projeto de Lei 1930/19 revoga a Lei 12.612/12, que declarou o educador pernambucano Paulo Freire patrono da educação brasileira. O texto tramita na Câmara dos Deputados.

A proposta é de autoria do deputado Heitor Freire (PSL-CE). Ele afirma que a escolha de Freire como patrono da educação representa a eliminação do pensamento plural nas escolas e no meio acadêmico. Paulo Freire (1921-1997) é autor de um método de educação que ficou conhecido como “pedagogia da libertação”.

“O modelo freiriano de educação é celebrado pela reversão, pela indisciplina, pela insubordinação do aluno perante o professor”, criticou o deputado. “A péssima situação da educação brasileira revela por si só os resultados catastróficos da adoção dessa plataforma esquerdista de ensino”, conclui.

A Lei 12.612/12 é oriunda de um projeto da deputada Luiza Erundina (Psol-SP) – na época da apresentação, a deputada estava no PSB. O texto foi aprovado na Câmara em 2011 e no Senado no ano seguinte.

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Cultura; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Janary Júnior
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Valbor | 20/06/2019 - 08h14
Se não foi a metodologia do Paulo Freire a adotada pelo Lula e Dilma nesses últimos 16 anos, o que justifica condecorá-lo Patrono da Educação, já que não testaram seus métodos?. Não precisa ser do meio pra perceber que foi sim utilizada a "teologia da libertação" do Sr. P. F. O fato é que o cáos era previsto e intencional, pois ele é o substrato do socialismo (desarticular, desestabilizar e desarmonizar), e lógico não seria positivo associar esse desastre ao P. Freire, óbvio!. Quanto à "teologia da escravidão", o melhor exemplo de como ela atua, são os colégios militares: péssimos não? rsrsrsr
Kleber | 30/05/2019 - 13h56
Esta na sessao errada, essa eh para Educacao e Cultura. O apropriado seria Trevas e Ignorancia.
VOLNEI PERIN DELLA GIUSTINA | 30/05/2019 - 11h43
Não é atoa que o Brasil esta nas últimas posições do PISA. Sou professor e a Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire na verdade esta oprimindo o estudante bom. Sendo massacrado pela desorganização e inversão de valores que é a educação brasileira. Onde se gasta valores o dobro de Singapura que é a primeira no PISA e tem´se resultados de países de 3 mundo. Mais algo a comentar. Troque o modelo. O Brasil esta na UTI da educação. Só não vê quem não quer.