15/05/2019 - 16h01

Deputado critica governo e cobra justificativa para cortes em instituições federais

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), autor do requerimento de convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para debate no Plenário da Câmara dos Deputados, disse que o ministro precisa justificar os cortes realizados nas instituições federais, inclusive na educação básica.

“Esta sessão não tem como objetivo conhecer os planos do governo para a Educação, até porque esse setor não é prioridade para o governo”, afirmou.

Ele ironizou a “troca de bombons”, em referência ao dia em que, junto ao presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro usou bombons para explicar os cortes. Para Silva, não há mágica de percentuais. “Foram cortados 30% mesmo das universidades brasileiras, por isso não se pode fazer a conta sobre o gasto total, que incluem os gastos que não podem ser cortados”, comentou.

Orlando Silva, vice-líder do PCdoB, disse que a fala do ministro busca desvalorizar a contribuição das universidades brasileiras para a ciência e a tecnologia e também para a formação de professores do ensino básico.

Responsabilidade
Para o ministro, “nós não somos responsáveis pelo contingenciamento atual”, referindo-se aos governos anteriores de Dilma Rousseff e Michel Temer.

Weintraub reforçou que o ministério está cumprindo a lei ao fazer o contingenciamento. Segundo ele, o sonho da população é colocar o filho em escola privada, insistindo que o foco deve ser o investimento em ensino básico.

“Não está bom o que tem sido feito nos últimos 20 anos. Autonomia universitária não é soberania e polícia precisa sim entrar na universidade”, declarou, referindo-se a críticas sobre sua declaração sobre o policiamento nessas instituições.

O debate prossegue no Plenário da Câmara.

Mais informações a seguir

Íntegra da proposta:

Reportagem - Eduardo Piovesan
Edição - Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'