08/05/2019 - 12h15

Frente parlamentar defende indústria têxtil da concorrência externa

Foi lançada nesta quarta-feira (8) na Câmara dos Deputados a Frente Parlamentar Mista José Alencar para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção. O objetivo é defender um segmento da economia que se considera prejudicado pela concorrência externa e que quer mudanças na legislação para evitar o que considera concorrência desleal de outros países.

A frente, integrada por deputados e senadores, é presidida pelo deputado Marcos Pereira (PRB-SP), 1º vice-presidente da Câmara. Segundo o deputado, o Brasil tem sido vítima de dumping – prática de vender produtos a preços baixos, no mercado internacional, para derrotar a concorrência.

“O setor emprega 1,5 milhão de pessoas, sendo 75% mulheres, e é vítima de dumping de alguns países que não têm rigor na legislação trabalhista e ambiental”, disse.

O deputado defende alterações na legislação para combater o dumping e a prática de truste – quando há grande concentração de um setor na mão de poucas empresas, que ditam o preço e impedem a concorrência. Ele apresentou dados que demonstram déficit de R$ 4 bilhões no comércio exterior brasileiro em razão dessas práticas. “As exportações de têxteis e confecções no ano passado foram de R$ 1 bilhão, enquanto as importações de produtos estrangeiros chegaram a R$ 5 bilhões”, disse.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil, Fernando Pimentel, defende ainda uma reforma tributária que simplifique o pagamento de tributos, diminua a carga tributária do setor e dê mais segurança para o empresário que quiser investir.

“Precisamos de um ambiente de investimentos mais previsível, uma reforma tributária que simplifique, que reduza a médio e longo prazo os impostos e alongue o pagamento dos mesmos. Temos 13 milhões de desempregados e isso não é razoável no Brasil”, disse.

Reportagem - Lincoln Macário
Edição - Antônio Vital

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'