23/04/2019 - 21h26

Depoimento de ex-presidente do BNDES frustra integrantes de CPI

Paulo Rabello, que presidiu o banco entre junho de 2017 e março de 2018, afirmou que duas comissões de apuração internas foram feitas no banco estatal sobre possíveis irregularidades em operações de crédito internacionais

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Tomada de depoimento do Ex-Presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro
Paulo Rabello (D) informou que resultados das investigações internas foram encaminhados à Polícia Federal e ao TCU

O depoimento do ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Paulo Rabello de Castro frustrou os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis ilícitos nas operações financeiras do banco estatal.

Paulo Rabello, que presidiu o banco entre junho de 2017 e março de 2018, afirmou que duas comissões de apuração internas foram feitas no banco estatal sobre possíveis irregularidades nas operações de crédito internacionais com as empresas JBS e Odebrecht. Segundo ele, os resultados foram encaminhados à Polícia Federal e ao TCU.

Ele disse, entretanto, que não entrou no BNDES para apurar ilícitos, mas para fazer funcionar a estatal financeira. "Estou aqui exatamente porque presidi o banco após os fatos que estão sendo investigados e, portanto, nada a ver com o fato em si, frustrantemente para os senhores parlamentares, não tive eu mesmo o acesso a nenhuma a denúncia interna, a algo que merecesse ser apontado, nem aqui nem antes."

A CPI apura possíveis favorecimentos a empresas nacionais no período dos governos petistas, de 2003 a 2015. O objetivo seria o de criar empresas campeãs mundiais em seus setores de atuação.

O presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), está convicto das ilicitudes ocorridas no BNDES. "Nós já temos informação de que os campões mundiais foram também os grandes campeões de corrupção nesse País, até pelas delações premiadas que já foram feitas e confirmadas”.

Objetivo
Paulo Rabello de Castro chegou a sugerir que a CPI tinha o objetivo de desconstruir o banco. O relator da CPI, deputado Altineu Côrtes (PR-RJ) rebateu essas acusações informando que a comissão quer ver o banco fortalecido. "Nós estamos aqui para construir um BNDES que seja um Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social pra todos, e não para grandes empresários que fizeram fortuna de bilhões de reais”, afirmou.

A CPI que investiga irregularidades no BNDES vai ouvir todos os ex-presidentes do banco no período investigado, entre 2003 e 2015, e alguns diretores das áreas envolvidas.

Ouça esta matéria na Rádio Câmara
Reportagem – Newton Araújo
Edição – Geórgia Moraes

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'