13/09/2012 - 10h01

Proposta obriga fabricantes de GPS a atualizar mapas e itinerários

Arquivo/ Leonardo Prado
Paulo Feijó
Feijó: informação desatualizada pode provocar acidente.

A Câmara analisa proposta que obriga os fornecedores de mapas para aparelhos de GPS a atualizar a cada dois anos, no mínimo, os dados fornecidos aos usuários. A medida está prevista no Projeto de Lei 3699/12, do deputado Paulo Feijó (PR-RJ).

Os aparelhos de GPS vendidos hoje, de forma geral, podem ser atualizados a qualquer momento, desde que o usuário pague por uma assinatura anual ou compre atualizações avulsas pela internet. O projeto não esclarece se a atualização será gratuita ou não.

O autor da proposta argumentou que novas ruas e estradas são construídas continuamente e que as vias atuais também passam por modificações constantes.

“É necessário, portanto, que os mapas dos sistemas de navegação sejam constantemente revisados, de modo a refletir todas essas alterações nas vias públicas. Uma informação desatualizada no sistema de navegação pode, por exemplo, levar o motorista a ingressar na contramão, gerando um grande risco de acidente”, disse.

Pela proposta, as atualizações de mapas deverão estar disponíveis pela internet. Todos os documentos deverão oferecer informações claras sobre a última data de sua atualização. As empresas que descumprirem a nova regra deverão pagar multa de R$ 10 mil.

Tramitação
A proposta, que tramita de forma conclusiva, será analisada pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carolina Pompeu
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'