11/04/2012 - 15h57

Google pode estar criando sistema de monitoramento da navegação dos usuários, diz Idec

O advogado do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Guilherme Varella, afirmou há pouco que a empresa Google pode estar criando sistema de monitoramento constante da navegação dos consumidores, identificando o seu comportamento, preferências e atitudes na internet.

Em audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor sobre a nova política de privacidade do Google, ele destacou a gama extensa de serviços do Google – cerca de 60. “A unificação das políticas de privacidade dos diferentes serviços da empresa significa a possibilidade de cruzamento de dados do consumidor”, disse.

Varella afirmou ainda que o Brasil precisa de uma lei de proteção de dados dos consumidores. Ele destacou que hoje não existe uma legislação nesse sentido, o que deixa o consumidor desprotegido. “Além disso, o marco civil da internet, com direitos e deveres de usuários e provedores, ainda não foi aprovado”, complementou. “Como não há lei protegendo os dados do consumidor, o que garante que esses dados estão protegidos?”

Segundo o advogado do Idec, a ausência de legislação faz com que empresas como Google e Facebook cometam abusos. Ele afirmou ainda que as empresas pedem ao consumidor dados além dos necessários para uso dos serviços. “Os serviços poderiam ser prestados com muito menos dados fornecidos pelo usuário”, destacou. Varella questionou o que a empresa faz com os dados fornecidos. “Temos críticas à publicidade direcionada.”

O Idec fez notificação ao Google, após o lançamento da nova política de privacidade, em 1º de março. Segundo Varella, a notificação foi “respeitosamente” respondida pela empresa. Ele ressaltou ainda que diversas organizações não governamentais de proteção do consumidor, em diferentes partes do mundo, fizeram críticas à nova política de privacidade do Google.

Continue acompanhando esta cobertura.