12/06/2019 - 14h56

Comissão proíbe que pesquisa sobre qualquer substância seja considerada apologia ao crime

Proposta aprovada quer evitar que pesquisadores sejam submetidos a constrangimentos em razão de manipulações científicas

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre a liberdade de imprensa e comunicação: a cultura de violência contra jornalistas e comunicadores como ameaça aos direitos humanos e à democracia. Dep. Maria do Rosário (PT-RS)
Deputada Maria do Rosário, relatora na Comissão de Cultura

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 251/19, que assegura a liberdade de pesquisa e de expressão dos cientistas e proíbe que seja enquadrada em apologia ou incitação ao crime a manipulação científica, para fins lícitos, de qualquer substância ou produto.

Também não poderá ser considerada apologia ou incitação ao crime a manifestação sobre estudos realizados ou em andamento.

Autor da proposta, o deputado Assis Carvalho (PT-PI) argumenta que pesquisadores da área de substâncias psicotrópicas, por exemplo, “têm sido submetidos a constrangimentos inaceitáveis em razão da falta de um dispositivo legal claro que os ampare na busca de soluções em benefício da população”.

O parecer da relatora, deputada Maria do Rosário (PT-RS), foi favorável à proposta. Ela lembra que a liberdade de expressão já é assegurada pela Constituição, mas destaca que “muitas vezes o princípio não vem sendo respeitado, levando o legislador a ter de criar uma nova norma”.

O projeto insere a medida no Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei 13.243/16).

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Lara Haje
Edição – Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

André Sarmanho | 12/06/2019 - 15h57
Era só o que faltava agora, financiar pesquisar para facilitar a atuação de narcotraficantes no Brasil. É capaz, depois, dessa aprovação irresponsável, que narcotraficantes se tornem até donos de laboratórios de pesquisas farmacológicas para passarem a tratar suas plantas psicotrópicas como fitoterápicos. Enquanto isso, pais e mães de família são pegos pelo bafômetro e são transformados em criminosos piores que os verdadeiros marginais por terem bebido uma latinha de cerveja ou uma taça de vinho numa comemoração. Esse é Brasil podre herança do PT e de governos anteriores que o criaram!!!!!!!!