22/04/2019 - 11h31

Direitos Humanos debate risco da chamada deep web para jovens e crianças

Victor Lisita/UFG
Comunicação - internet - adolescentes digital vício compulsão socialização redes sociais celulares smarthpones saúde
Audiência vai discutir os riscos da deep web e o que é possivel fazer para coibir os crimes praticados ali

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara realiza audiência pública nesta tarde para discutir os riscos que a internet representa para crianças e jovens.

A deep web, também chamada de deepnet ou undernet, é uma parte da internet que não é indexada pelos mecanismos de busca, como o Google, e, portanto, fica oculta para o grande público. É um termo geral para classificar diversas redes distintas que não se comunicam.

Geralmente, a deep web é associada a conteúdo ilegal, como venda de drogas, pornografia infantil ou diversas outras atividades obscuras, mas a rede não tem só esse tipo de conteúdo.

O objetivo da reunião, explicou o deputado Filipe Barros (PSL-PR), é discutir os riscos principalmente na deep web, onde é mais difícil a fiscalização pela polícia.

Para o deputado, o atentado em Suzano, onde dois jovens armados mataram 10 pessoas nas proximidades de uma escola, ocorreu em parte pelo contato dos envolvidos com a deep web, onde são propagados todos os tipos de informações, inclusive incitação à violência.

"O que nós queremos saber com a audiência pública é qual a extensão da deep web, até onde a Polícia Federal consegue chegar e que instrumentos detém para que sejam coibidos os crimes praticados ali dentro."

Para Filipe Barros, o grande desafio é construir políticas públicas que garantam a proteção de crianças e adolescentes sem que isso represente nenhum tipo de censura na garantia do acesso à Internet.

Foram convidados para participar da audiência:
- a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves;
- a chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal, Cassiana Saad de Carvalho;
- o presidente da ONG SaferNet Brasil, Thiago Tavares;
- o consultor em Segurança Digital da DNpontocom, Daniel Nascimento; e
- representantes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A reunião será realizada às 14 horas, no plenário 9.

Assista ao vivo

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'