27/05/2019 - 17h53

Relator apresenta parecer preliminar sobre LDO e defende prorrogação do Fundeb

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Audiência Pública sobre o PL 5/19-CN. Dep. Cacá Leão (PP-BA)
Cacá Leão: extinção do Fundeb poderia gerar um caos sem precedentes

O relator do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2020 (PLN 5/19), deputado Cacá Leão (PP-BA), divulgou nesta segunda-feira (27) o relatório preliminar, com as regras para apresentação de emendas. No texto, ele defendeu a prorrogação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

“É imperioso garantir a renovação dessa importante fonte de financiamento da educação básica”, disse. “A sua extinção [do Fundeb] pode gerar um caos sem precedentes para a educação do País.”

A legislação atual extingue o Fundeb em 2020. O fundo é considerado uma fonte importante de recursos para o financiamento da rede pública de ensino no País. Criado em 2006, o Fundeb reparte recursos da União entre estados e municípios. Para este ano, os recursos previstos somam R$ 152,5 bilhões, mais uma complementação pela União de, no mínimo, R$ 15,2 bilhões.

Cacá Leão lembrou que o Congresso analisa propostas sobre o tema. Na Câmara dos Deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15 torna o Fundeb um instrumento permanente de financiamento da educação básica pública, além de elevar o volume de recursos do fundo. No Senado Federal, com objetivos parecidos, tramitam outras duas PECs (33/19 e 65/19).

Nesta semana, a comissão especial que analisa a PEC 15/15 promoverá duas audiências para analisar a proposta. 

Emendas parlamentares
A Lei de Diretrizes Orçamentárias compreende as metas e prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente, orientar a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA), dispõe sobre as alterações na legislação tributária e estabelece a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.

Conforme o relatório preliminar de Cacá Leão, o Anexo de Prioridades e Metas do projeto de LDO para 2020 será elaborado por meio de emendas de inclusão de ações já constantes das leis orçamentárias de 2018 e 2019. No ano passado, houve vetos, sob argumento de que a eventual ampliação no rol das prioridades “dispersa os esforços do governo” e “afeta o contexto fiscal”.

O prazo para emendas ao relatório preliminar vai até quarta-feira (29). Elas podem ser apresentadas por deputados e senadores (individuais) e por comissões das duas Casas e bancadas estaduais (coletivas). As emendas se direcionam ao texto do projeto de LDO, que tem caráter normativo, e ao Anexo de Metas e Prioridades.

Conforme as consultorias de Orçamento da Câmara e do Senado, a proposta da LDO para 2020 prevê que, atendidas as despesas obrigatórias e as de funcionamento dos órgãos e das entidades, as prioridades e metas da administração federal serão estabelecidas na Lei do Plano Plurianual 2020-2023. O texto deve ser encaminhado ao Congresso somente em agosto, até o dia 31.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'