05/05/2009 - 22h17

Anatel e operadoras garantem celular em toda a Amazônia em 2010


Deputados alertam, porém, que ainda falta muito para atender a todas as demandas da região por serviços telefônicos.

Participantes de audiência pública nesta terça-feira na Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional garantiram que até abril de 2010 todos os municípios da Amazônia Legal terão cobertura por telefonia móvel. Essa meta foi prevista em contrato assinado pelas operadoras com a Anatel em 2007.

Deputados da região, no entanto, ressaltaram que, devido à existência de grandes localidades com baixa densidade populacional, enormes extensões geográficas continuarão isoladas.

O gerente de regulamentação de serviços privados da Anatel, Bruno Ramos, informou que, entre abril de 2008 e abril de 2009, 932 municípios foram ligados à rede nacional de telefonia celular e que 904 terão cobertura em 30 de abril de 2010.

Ramos disse que, por exigência do edital, as empresas depositaram uma quantia em dinheiro por município em nome da Anatel para ser usada na instalação dos serviços previstos, no caso de não cumprimento da meta. Segundo ele, não há possibilidade de a Anatel prorrogar o prazo para que as empresas cumpram o contrato.

Maior demanda
O presidente da Associação das Operadoras de Celulares (Acel), Emerson Costa, reafirmou que as empresas irão cumprir a obrigação assumida e disse que, atualmente, 88,3% da população da Amazônia têm acesso à telefonia celular. No Brasil, segundo ele, o índice é de 90%.

De acordo com o gerente da Anatel, a Amazônia é a região em que mais cresce a demanda por telefonia, com aumento da procura de cerca de 30% por ano. Entre outubro de 2008 e março de 2009, segundo ele, o crescimento da demanda por telefonia móvel no Brasil foi de 6,13% no Brasil e de 8,32% na Amazônia.

Crescimento insuficiente
O deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) destacou que, com base nos números apresentados, a região amazônica tem quase a mesma média nacional de cobertura. Porém, isso ocorre, segundo ele, só porque a maior parte da população está nas grandes cidades. "Temos grandes extensões sem nenhum tipo de serviço, nem mesmo um orelhão. Esse crescimento é muito pequeno para as necessidades da Amazônia", disse.

O deputado Zé Vieira (PR-MA) disse que uma solução possível para as dificuldades de instalação de infra-estrutura seria o compartilhamento de torres instaladas para outras finalidades, como a transmissão de rádio e TV. "Não conheço nenhum município da região que não tenha pelo menos duas dessas torres. Por que não usá-las?" questionou.

Emerson Costa explicou que o mais complicado na instalação das empresas de telefonia móvel na Amazônia é conseguir a conexão com outras localidades. "A torre precisa estar ligada à rede nacional. Em locais como a Amazônia, o link, seja por meio físico ou por satélite, é muito difícil", afirmou. Ele lembrou que, devido aos alagamentos constantes, os cabos devem ser instalados em cima das árvores.

Empresas
O diretor de Assuntos Regulatórios da Claro, Luiz Marcondes, acrescentou que a infra-estrutura das operadoras fixas, já instaladas na região, é insuficiente para atender ao aumento da demanda. A transmissão de dados por satélite, segundo ele, também é cara e limitada. Ainda assim, em 2010 a empresa irá operar em 286 municípios amazônicos.

A Vivo, presente em 444 municípios na Amazônia Legal, informou que decidiu criar a sua própria infra-estrutura de transmissão. O vice-presidente de Regulamentação e Interconexão da empresa, Ércio Zilli, disse que será inaugurada em dois meses uma rota terrestre ligando Belém e Manaus, com extensão de 850 quilômetros. "Isso vai melhorar a oferta de banda larga, hoje muito difícil", afirmou.

De acordo com o presidente da comissão e autor do requerimento para a realização da audiência, deputado Silas Câmara (PSC-AM), ainda que os progressos fiquem aquém das necessidades a oferta de serviços em 100% dos municípios da Amazônia é "um ganho a ser registrado neste século".

Notícias relacionadas:
MP e Pro Teste pedem assinatura de telefonia fixa mais barata
Serviço de roaming em telefonia móvel poderá ser obrigatório
Anatel vai rever critérios da telefonia rural em áreas isoladas

Reportagem - Maria Neves
Edição – João Pitella Junior


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br





A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'