19/01/2009 - 10h06

Proposta modifica destinação de recursos de multa ambiental

A Câmara analisa o Projeto de Lei 4297/08, do deputado Homero Pereira (PR-MT), que muda regras que regulamentam a destinação de valores arrecadados com o pagamento de multas por infração ambiental.

O projeto determina que metade dos valores arrecadados pelo órgão ambiental federal deve ser revertida ao Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA) e a outra metade, a projetos em unidades de conservação e ações de educação ambiental.

No caso de multas por infração ambiental aplicadas pela Capitania dos Portos, a proposta estabelece que os valores arrecadados devem ser revertidos ao Fundo Naval.

Já as multas aplicadas pelos órgãos estaduais e municipais de meio ambiente terão suas destinações estabelecidas por leis estaduais e municipais, respectivamente.

O deputado Homero Pereira argumenta que o texto atual da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) permite múltiplas interpretações. A redação do artigo 73 da referida lei estabelece que o valor das multas será revertido ao FNMA, Fundo Naval e fundos estaduais ou municipais de meio ambiente, ou correlatos, conforme dispuser o órgão arrecadador.

"Na interpretação dada pelos juristas Flávio Dino, Ney de Barros e Nicolao Dino a discricionariedade de aplicação seria restrita aos fundos estaduais e municipais, o que não daria alternativa aos órgãos federais arrecadadores [IBAMA e Capitania dos Portos]", destaca Pereira.

Decretos não resolvem
Reconhecendo essa lacuna, o próprio Poder Executivo já editou dois decretos regulamentando o assunto. Primeiramente, o Decreto 3.179/99, que vigorou por menos de uma década, dispunha que 10% das multas aplicadas pelo órgão ambiental federal seriam revertidas ao FNMA, podendo o referido percentual ser alterado, a critério dos demais órgãos arrecadadores.

O Decreto 6.514/08, que o substituiu e está em vigor, aumentou para 50% o percentual dos valores a serem revertidos ao FNMA, mantendo a possibilidade de mudança desse critério pelos órgãos arrecadadores.

"Ao que consta, o que ocorria até a revogação do Decreto 3.179/99 era que apenas 10% dos recursos arrecadados pelo IBAMA eram repassados ao FNMA, sendo os demais 90% utilizados para custeio daquele órgão, principalmente em atividades-meio. O Decreto 6.514/08 corrigiu em parte essa distorção, elevando o percentual destinado ao FNMA de 10% para 50%, mas os demais 50% permaneceram sem destinação, o que esta proposição visa especificar", explica o deputado.

O que Pereira sugere é não apenas especificar na própria lei a destinação, mas também determinar que os demais 50% dos valores arrecadados sejam revertidos para projetos em unidades de conservação e ações de educação ambiental.


Tramitação
A matéria, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões, está na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Se aprovada, seguirá para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Notícias anteriores:
Corte de árvores ameaçadas deverá ser autorizado pelo Ibama
Comissão quer sustar decreto sobre crime ambiental
Meio ambiente aprova proteção especial para abelhas polinizadoras
Meio Ambiente aprova inspeção de água de lastro de navios
Comissão aprova fim do uso de carvão de mata nativa em 10 anos

Reportagem - Cid Queiroz
Edição - Maristela Sant´Ana


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)
Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

Íntegra da proposta:


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'