20/11/2008 - 13h17

Acordo inclui cota para alunos pobres nas escolas federais

Um acordo de líderes, lido há pouco pelo presidente Arlindo Chinaglia, mudou a redação do PL 3913/08, da senadora Ideli Salvatti (PT-SC), para garantir a aprovação da matéria. Pelo acordo, 50% das vagas das universidades federais e escolas técnicas federais deverão ser preenchidas da seguinte forma: metade por pessoas egressas de famílias com até um 1,5 salário mínimo per capita; e metade por negros e índios. A cota beneficia apenas estudantes egressos do ensino público. Se o projeto for aprovado com essas alterações, voltará para o Senado.

O relator da matéria, deputado Paulo Renato Souza (PSDB-SP), disse que não se sentiu muito confortável como o acordo porque, segundo ele, o desempenho educacional do Brasil está mais ligado à renda do que à raça. "Por isso, a meu ver, resolvendo a questão da renda, estaríamos também resolvendo o problema ligado à raça", explicou. "Mas, como os projetos já tramitam há muito tempo e proposta semelhante já foi aprovada no Senado, optamos pela redação da forma acordada pelos líderes".

Reportagem - Malena Rehbein
Edição – Wilson Silveira


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'