08/11/2007 - 11h43

Procurador vincula pornografia ao crime organizado

O procurador regional da República Guilherme Schelb afirmou há pouco que a pornografia representa a terceira maior fonte de renda do crime organizado no mundo. Segundo ele, somente nos Estados Unidos, a estimativa é que o setor movimente de 8 bilhões a 10 bilhões de dólares (cerca de R$ 13, 9 bilhões a R$ 17,37 bilhões) por ano. Ele também citou estudos norte-americanos segundo os quais até 70% dos criminosos que cometeram estupro ou abuso sexual eram viciados em pornografia, e os crimes espelharam sua prática.

De acordo com o procurador, o grande erro ao se discutir a pornografia no Brasil é tratá-la apenas segundo o ponto de vista da moral. De acordo com ele, a pornografia envolve crime organizado, corrupção e crimes sexuais.

Guilherme Zanina Schelb participa da audiência pública promovida pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado para discutir os danos sociais e psicológicos da pornografia.

A audiência ocorre no plenário 6.

Reportagem - Maria Neves
Edição - Renata Tôrres


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'