O acordo beneficia turistas da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos e do Japão

O acordo assinado pelo governo brasileiro precisa ser ratificado pelo Congresso
Notícias anteriores: