Em debate na Comissão de Cultura, delegado diz que redes sociais dificultam investigações, e Abert pede responsabilização das plataformas pelos conteúdos. Já Manuela D’Ávila sugere proibição a empresas de telecomunicações de oferta de acesso gratuito ao WhatsApp e Facebook

Maria do Rosário: a disseminação massiva das “fake news” ocorre pela ação de organizações criminosas que lucram com isso
Notícias anteriores: