Comissão especial ainda não tem data para votar reforma da Previdência

06/06/2019 15h30
Paulo | 12/06/2019 17h31
Sr relator Samuel O senhor negará a transição para os servidores públicos se impuser idade mínima de 60 anos pois a atual regra já prevê isso para os servidores que entraram após o ano de 2003. Assim a exigência de idade mínima para os que entraram antes de 2003 impõe a supressão do direito a transição e exige tipo muito maior de contribuição. Não está certo isso.
Márcia Pereira Barbosa | 10/06/2019 16h39
Por qual o motivo deverá deixar para o próximo semestre? Isso só tem duas respostas: Falta de competência de nossos legisladores ou interesses partidários.Há não aprovação ainda nesse semestre indica que os deputados não tem interesse no coletivo. Eles devem ficar esperto,pois,as próximas eleições tudo isso será lembrado por vários eleitores. A internet e uma maravilha!!ajuda muito. Por gentileza leve o povo brasileiro mais a sério.
Márcia Pereira Barbosa | 10/06/2019 16h37
Por qual o motivo deverá deixar para o próximo semestre? Isso só tem duas respostas: Falta de competência de nossos legisladores ou interesses partidários.Há não aprovação ainda nesse semestre indica que os deputados não tem interesse no coletivo. Eles devem ficar esperto,pois,as próximas eleições tudo isso será lembrado por vários eleitores. A internet e uma maravilha!!ajuda muito. Por gentileza leve o povo brasileiro mais a sério.
José Nonato | 10/06/2019 14h14
Essa reforma é desnecessária, a culpa da baixa arrecadação para a previdência é dessa reforma trabalhista, que ñ gerou emprego e ainda lançou muitos trabalhadores na informalidade, diminuindo o número de pessoas que contribuem com o INSS. NÃO A REFORMA DA PREVIDENCIA. Quem é a favor dessa reforma maldita é contra o trabalhador.
ROMILDO JOSÉ FEYH | 10/06/2019 11h39
Tenho 31 anos de contribuição e 50 anos de idade. Fico fora do pedágio pois somente contempla que falta dois anos. Para não haver injustiça não seria melhor um pedágio progressivo para todas que já contribuem.
Isaias Neto | 10/06/2019 08h38
Faço aqui uma observação muito pertinente: não tratem todos os servidores públicos federais pela mesma linha ou no mesmo horizonte: temos várias categorias, desde área de segurança, judiciária, educacional, auditorias (fiscal e agropecuária) etc. Desta forma, não é justo tratar a todos sob a mesma ótica, v.g., não entendemos porquê tanta severidade quanto ao tempo ou o momento de transição (ou pedágio), uma vez que temos tantos e quantos servidores que foram admitidos antes de 1998, cumprem as regras de todas as EC deste período, com contribuições na Lei e são taxados de privilegiados. Justo?
Antônio Márcio | 09/06/2019 15h23
O Exmo. Ministro Paulo Guedes, alega economia em 10 anos de 1,3 trilhões, isto implica aproximadamente em 130 bilhões por ano, este valor não paga nem o deficit anual da previdência.Tanto custo e sacrifício para nada? Envolvem todos a um custo enorme para o pais, falam em liberalismo mais não trazem novos bancos para concorrer com os 3 maiores bancos privados. Existe um erro de foco, como fica a proteção das riquezas do Brasil,o povo nunca vai desfrutar do seu pais? Quando vamos ter empresas nacionais acumulo de capital, ciência e educação.
Paulo Tadeu | 08/06/2019 07h30
Senhor relator Incluir no relatório pedágio de CEM POR CENTO para os servidores equivale a negar a transição. Em alguns casos pode piorar ainda mais as injustiças da proposta original. Por favor crie regra de transição realmente justa e não faça apenas jogos de palavras.
Juliana de Souza | 08/06/2019 06h06
Bom dia, por favor aprovem essa Refoemail urgente o Brasil está precisando.
Maria Luiza Rodrigues Rabelo | 07/06/2019 22h18
Quando os brasileiros visualizarão os Senhores Deputados se preocuparem mais com o Brasil, ao invés de pensarem unicamente em política e reeleição? Enquanto o povo não acordar e conseguir perceber que o único interesse dos Senhores é a perpetuação no poder, não poderemos ter um País melhor. Não há maneiras de avançarmos sem que todos façam a sua parte e dê a sua cota de sacrifícios. Usarei uma frase do imperador japonês após o fim da segunda guerra: "... SUPORTAR O INSUPORTÁVEL, É ISTO QUE PEÇO A TODOS VOCÊS..." E constatemos no que se transformou o Japão, mas todos se uniram... Reflitamos.
<< < 1 2 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.