Câmara aprova projeto sobre partidos políticos; texto segue para sanção

24/04/2019 23h33
Luiz Carlos Ballock | 03/05/2019 11h42
Um “partido” é agremiação voluntária de direito privado, que se propõe a conquistar o poder político, para impor o interesse de suas oligarquias mediante administração do dinheiro do povo. É proposta política inscrita em “certame licitatório aberto, de cunho eleitoral”. A decisão se dá por “comissão eletiva” de contribuintes votantes, na jurisdição. Logo, é empreendimento voluntário de cunho particular, e nada justifica a imposição legal de “fundos partidário e eleitoral”, com o “nosso dinheiro”, em objetivo do interesse particular de suas oligarquias dominantes, ou “donos de partidos”.
MARCOS ROZENDO DA SILVA, VÁRZEA PAULISTA, SÃO PAULO. | 25/04/2019 11h31
Faltou complementar ainda:No parágrafo 5, (ou outro) :........, também os partidos municipais com movimentação financeira, não terá a sua prestação de contas desaprovadas ou julgadas como não prestadas, quando não enviar o comprovante de remessa a Receita Federal do Brasil, a ECD (escrituração contábil digital).
daniEL | 25/04/2019 11h17
É uma vergonha que ainda se faça de tudo para proteger e blindar os colegas em situações manifestamente claras de manipulação, desvios e tantas outras formas de burlar a moralidade transformando-as em questões amparadas por lei. Alguém aí duvida, por exemplo, que a maioria esmagadora dos comissionados tenham que devolver obrigatoriamente parte de seus vencimentos para os padrinhos, seja através de doações de campanha ou qqr outro nome que se queira dar? E isto para citar apenas um dos aspectos deste projeto. Com poucas exceções, deveria ser quase totalmente rejeitado!
<< < 1 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.