CCJ retomará na terça-feira a análise da reforma da Previdência

17/04/2019 13h11
Jorge Humberto Caetano da Silva | 23/04/2019 08h09
É muito triste assistir a conchavos políticos e ver que, quem está a pouco mais de 3 meses de se aposentar, pode ver todo o seu planejamento ir por água abaixo. A mudança no cálculo da aposentadoria é uma verdadeira covardia contra quem não pode se defender. É muito triste!
Alexsandro Sgobin | 23/04/2019 07h29
É covardia impor sigilo sobre os liames técnicos da reforma da previdência. Chega a ser criminoso, pois quem paga seus (altos) salários somos NÓS, e é nosso direito conhecer o que está sendo urdido nos bastidores. Liberem os dados, à revelia de qualquer canalha que por autoritarismo ou vileza queira escondê-los! Isso não é uma brincadeira, por mais que os mandatários eleitos em 2019 assim ajam!
Jader | 22/04/2019 11h40
O problema do Brasil não é só os políticos, o problema do Brasil são os brasileiros que sequer leram o texto da reforma e ficam repetindo chavões que aprenderam em sites de internet, o problema do Brasil são os brasileiros militantes do atraso que vivem apegados ao fracasso e lutam pela destruição do país, idolatrando uma ideologia falida.
Jader | 22/04/2019 11h26
Eu queria ver esse país se tornar como a Grécia e depois rir da cara desses pseudointelectuais que vivem bravejando besteiras, afirmando que não precisa de reforma da previdência.
Anderson | 21/04/2019 09h00
O sigilo imposto pelo governo sobre a economia com a Reforma da Previdência é uma violência contra o povo brasileiro, especialmente às pessoas afetadas por ela. É uma violência contra a democracia e o Estado de Direito. Imediatamente, a tramitação dessa Reforma deve ser parada e os partidos devem exigir na Justiça que essas contas sejam abertas para se entender como se chegou aos números que essa Reforma diz pretender economizar.
Jaqueline Coutinho | 20/04/2019 12h30
A CCJ tem que exercer sua função e não admitir que a proposta 06/2019 que é inconstitucional seja admitida. O Governo deve inibir a questão econômica e avaliar o pacto social em que vivemos e que vem dando certo. Exceto, pela má gestão e desvinculação das receitas do financiamento da Seguridade Social. O sistema de capitalização é o fim.Várias sugestões foram encaminhadas como a cobrança dos grandes devedores, sonegação, conselho de fiscalização, entre outras, que podem ajustar as contas. Daí, quem sabe fazer uma proposta de reforma justa e que avalie a proteção social.
Anderson | 20/04/2019 12h02
Benefícios da rejeição da Reforma da Previdência já na CCJ: a Reforma Tributária deverá andar mais rapidamente, o que é infinitamente mais importante para toda a Nação. A Reforma da Previdência ficará para o próximo ano (sendo rejeitada agora), quando deve ser apresentada mais "pé no chão" e mais condizente com a realidade do nosso povo, e, finalmente, a relação Legislativo-Executivo se tornará mais respeitosa, com a necessária atenção do Executivo às demandas dos deputados para suas bases, o que hoje parece não ocorrer.
Verônica | 20/04/2019 09h34
Sim, Áurea. E não se houve falar de nenhum trabalho árduo no combate aos privilégios políticos desnecessários e mal utilizados e contra a corrupção. Provem que o projeto não aumenta as desigualdades no Brasil? Não é este um dos seus objetivos?
Renato Silva | 19/04/2019 23h33
E pensar que há quem veja essa reforma tão urgente quanto a reforma política, reforma agrária e tantas outras. Mas como sempre, para a elite deve-se começar por cortar de quem já não tem, que cortar de seus privilégios.
Renato Silva | 19/04/2019 23h32
E pensar que há quem veja essa reforma tão urgente quanto a reforma política, reforma agrária e tantas outras. Mas como sempre, para a elite deve-se começar por cortar de quem já não tem, que cortar de seus privilégios.
<< < 1 2 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.