Concluída votação em 1º turno de PEC sobre coligações; faltam destaques em 2º turno

21/09/2017 01h44
Mario Rossi Filho | 22/09/2017 11h02
Maria Luiza, infelizmente, eu não tenho dúvidas de que ainda veremos muitos dos memos no Congresso.
Erasmo Neto | 22/09/2017 09h20
A fidelidade é o único ponto coerente da reforma.Principalmente em uma sociedade irresponsável. Ex: os casamentos,nem os líder religiosos ou os juízes obrigam os pares a jurar fidelidade,na hipocrisia juram e muitos não cumprem e pior ainda geram uma sociedade dos filhos de ninguém depositados em ambientes públicos ou aceitos pelo crime organizado.Regime democrático exige co-responsabilidade pode ser temporária na politica.Cautela nas acusações,pois corremos o risco de nos tornar hipócritas sem perceber.Os eleitos representam aquilo que somos como sociedade.Contra todas as outras propostas.
joão andré da costa | 21/09/2017 11h30
Depois de tudo isso, não votar.
joão andré da costa | 21/09/2017 11h16
Porque essa briga toda por dinheiro,e melhor tirar o voto obrigatório, vota quem quiser só assim vocês teria que correr atrás de eleitor...
VOTO É NULO! | 21/09/2017 09h59
DE UMA COISA EU TENHO CERTEZA: NÃO VOTO EM TIRIRICAS E VOTO É NULO!
Maria Luiza Rodrigues Rabelo | 21/09/2017 09h27
Só gostaria de saber, porque as medidas não são votadas para valerem já em 2018. Estamos fartos de visualizar "raposas tomando conta de galinheiro". Será que os deputados ainda não acordaram e imaginam que o povo irá votar em todos que ora ocupam cadeiras no Congresso Nacional? Basta de tanto casuísmos e oportunismos!
<< < 1 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.