Especialistas defendem mudança em Lei de Drogas para diminuir população carcerária

17/02/2017 10h25
Celso Tito Godoy | 25/02/2017 05h26
A partir do momento em que não se comete ato contra terceiros, não tem motivos para ser considerado crime. O crime se caracteriza no momento que o usuário rouba, furta e etc para sustentar seu vício. Isso é análogo a liberação de armas. Crime será se as armas forem utilizadas para ataque e não defesa. Infelizmente há uma briga entre dois pólos sobre o tema e ambos só avançam conforme vontade própria, vide referendo de 2005 que só serviu para estatísticas
Erasmo Neto | 17/02/2017 11h43
Human’s Right Watch,só relatou uma parte do problema e pode confundir muitos.Ex: nos Estados unidos a venda de armas é liberada,no Brasil não.A Europa alem de exportar drogas sintéticas através do contrabando,os bancos aceitam lavar dinheiro como revela a operação lava jato que ainda só esta focada na parte politica.A Europa tem lucro com o contrabando e com a lavagem de dinheiro é justo que,enviem dinheiro oriundo dos lucros para ajudar a melhorar as condições sociais do Brasil.As gueras do ópio estão documentadas em enciclopédia.
<< < 1 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.