Projeto reconhece vaquejada como atividade esportiva

13/02/2012 12h57
jorge anastacio de araujo | 21/02/2012 11h24
A muito tempo a vaquejada deveria ser reconhecida como esporte. Pois é originado da caatinga do nordeste e hoje ganhou os grandes centros.mostre uma vaquejada a uma criança e veja a reação de alegria dela. É um shou. vamos nessa nordeste.
Yan Matheus | 21/02/2012 10h21
isso não é um absurdo não, eu acho muito justo normatizar a vaquejada, que é a cultura nordestina, todos nós vaqueiros protegemos ao máximo nossos cavalos e bois, vocês que estão comentando contra a vaquejada, vão á uma vaquejada que eu tenho certeza que vocês vão gostar !
Adeguinal Netto | 21/02/2012 08h25
Deixem de falar o que não sabem. Pra que se iria maltratar os bois, chicotear os cavalos, colocar prego nas luvas, colocar pimenta nos bois? VAQUEJADA é um esporte genuinamente brasileiro, cultura do sertanejo, nascido em 1942, hoje movimenta bilhões de reais, com mais de 1.000 provas em todo o Brasil, distribui mais de R$500 milhões em prêmios e empregando o dobro da industria automobilistica. Isso é VAQUEJADA
Giovanna Pozza | 21/02/2012 04h27
Que falta total de critérios! Esporte?! Regulamentar a violência e o sofrimento infligido aos animais por pura diversão e exploração lucrativa?! Alguém ganha com isso... só pode ser essa a explicação para tentarem nos iludir com essa MENTIRA que vaquejadas, rodeios são festas esportivas, quando na verdade são uma violação dos direitos dos animais. Um crime regulamentado e incentivado pelo poder publico... não é possível isso!
Augusto lins | 21/02/2012 01h10
Parabéns ao deputado por tentar regularizar este esporte maravilhoso que por toda cidade que passa vira cultura , movimenta o comercio , hotelaria e emprega varias pessoas durante o evento . Quanto a maus tratos com gado o povo esta muito enganado ... Pois o gado fica em local previlegiado com bastante agua e comida .. Com direito até a banho de carro pipa em dias quentes ... As pistas de competição sao muito bem forradas de areia amaciando a queda fo boi entre as faixas . Convido a qualquer pessoa a vim conhecer o CAMPEONATO PERNAMBUCANO DE VAQUEJADA
Cristina Calixto | 21/02/2012 00h57
Mais inteligente seria que o Sr. dedicasse mais tempo à leitura da Constituição, mais especificamente à lei que protege os animais. Como o Sr. pode propor um absurdo desses, mesmo depois de já terem fartamente documentado o que acontece em rodeios? O Sr. acha que mudar o nome para "vaquejada" muda alguma coisa no rodeio tupiniquim? Faça-me o favor! Procure coisas mais inteligentes para propor e deixe de ser fanfarrão com o dinheiro suado do povo!
Amadeu Toy | 20/02/2012 21h56
Claro que devo apoiar esse projeto, será talvez a única atividade esportiva genuinamente Brasileira. A Vaquejada envolve o espirito de competir, o sentimento e a alma do Nordestino a muito tempo. Não existe mal trato , pois é uma atividade que ganha o vaqueiro, o cavalo ou o boi!
ivan neto | 20/02/2012 21h36
a vaquejada é um esporte tipico do nordeste assim cm o futebol é para o mundo.já que causa maus tratos vamos ter que parar de comer carne de boi vá em um matadouro e veja o que é realmente sofrer.vê os animais ded carroça sofrem sem comida e os cavalos de vaquejada tem comida tem carinho tem tudo pense nisso, gera emprego p/muita gente.obrigado
RODRIGO SARAIVA | 20/02/2012 21h35
AGORA SIM O UNICO ESPORTE CRIADO NO BRASIL VAI SER LEGALIZADO, AO CONTRARIO DO QUE DIZEM MUITOS, E UMA CULTURA COMO QUALQUER OUTRA (EXP:CAPOERIA)QUE JA CHEGOU EM UM PATAMAR DEVERIA SER LEGALIZADO O INVESTIMENTO DE VAQUEJDA SO PERDE PARA FORMULA 1 EM MOVIMENTAÇAO FINANCEIRA. VALEU.
joão manoel | 20/02/2012 21h32
aos ignorantes que não entendem o nosso esporte,não tem o objetivo de machucar os animais e sim diversão e distração tanto dos vaqueiros como dos animais.animais se machucam?sim,se machucam do mesmo jeito que jogadores de futebol ou de outro qualquer esporte se machucam.
<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.