A CREDN realizou, em parceria com a CNI, o seminário "Novos Anseios da Política Externa Brasileira: Renovar para Avançar"

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) realizou, em parceria com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), em 21 de novembro de 2019, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, o seminário internacional "Novos Anseios da Política Externa Brasileira: Renovar para Avançar".
22/11/2019 17h35

Alexandre Magno da Conceição

A CREDN realizou, em parceria com a CNI, o seminário "Novos Anseios da Política Externa Brasileira: Renovar para Avançar"

O seminário ocorreu no contexto de construção de uma política externa moderna, que esteja à altura do enorme potencial do Brasil; uma política que conecte o País aos grandes fluxos econômicos e comerciais.

Segundo o Presidente da CREDN, o Deputado Eduardo Bolsonaro, em seu discurso de abertura, “a realização deste Seminário é mais uma ação nesse sentido. Sabemos que, para alcançar tão nobres objetivos, precisamos de parcerias, assim como precisamos compartilhar e desenvolver conhecimento. Nesse sentido, não podemos e não devemos abandonar a cooperação internacional”.

Nessa mesma linha, o Deputado acrescentou:  “sabemos inovar e atualizar a nossa inserção internacional. Basta de políticas da pirraça ou de vincular princípios e diretrizes arcaicos à nossa política externa, como se fossem cláusulas pétreas. ”

A cerimônia de abertura do evento contou com a participação de diversas autoridades dos Poderes Legislativo e Executivo. Participaram da mesa de abertura o Presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados e Presidente da Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência do Congresso Nacional, Deputado Eduardo Bolsonaro; o Presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal, Senador Nelsinho Trad.

Além dos dois representantes do Legislativo, participaram o Ministro de Estado da Defesa, General de Exército Fernando Azevedo e Silva; o Ministro de Estado das Relações Exteriores, Embaixador Ernesto Araújo; o Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Sr. Jorge Oliveira; o Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, General de Exército Luiz Eduardo Ramos; e o Presidente da APEX-Brasil, Almirante Sergio Segovia.

Em seguida, ocorreu a mesa temática sobre a questão do liberalismo econômico e comercial, um dos pilares do governo do Presidente Jair Bolsonaro e da política externa que vem sendo desenvolvida para inserir o Brasil no comércio internacional. Nesse cenário, o Deputado Eduardo Bolsonaro, no já mencionado discurso de abertura, afirmou: “Queremos abrir o Brasil para o mundo! Queremos abrir o mundo para o Brasil!”

No domínio multilateral, os participantes do evento contribuíram em duas mesas temáticas. Na área da defesa, um painel discutiu a cooperação Brasil-Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), entidade com a qual compartilhamos os princípios de defesa da democracia, das liberdades individuais e do Estado de Direito.

Em outro painel, foi abordada a acessão do Brasil à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), de modo a beneficiar o País com as melhores práticas no trato da coisa pública e com a adoção de parâmetros que estimulem o comércio e os investimentos externos. Importante ressaltar a participação do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-OCDE nessa discussão, o que enriqueceu ainda mais os debates.

                  No âmbito das relações bilaterais, três mesas temáticas abordaram, respectivamente, as relações com os Estados Unidos da América, com Israel e com a China.  Os debatedores deixaram claro que o Brasil segue e seguirá uma política externa autônoma e independente, fundamentada no pragmatismo, na proatividade e no liberalismo econômico. 

 

Texto: Diego de Souza Araujo Campos

Diplomata e Assessor Internacional da CREDN            

 

Ações do documento