Comissão constata boa utilização de centros esportivos em São Paulo

Locais foram construídos com recursos federais, mas necessitam de dinheiro das prefeituras para manutenção. Deputado teme que outros municípios não assumam gastos com projetos.
22/05/2019 11h35

Divulgação/CPB

Comissão constata boa utilização de centros esportivos em São Paulo

Instalações do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro

A primeira etapa de diligências da Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados constatou o bom funcionamento de centros esportivos parcialmente geridos com recursos públicos federais em São Paulo. Os deputados visitaram nos dias 16 e 17 de maio o Centro Paralímpico Brasileiro (CPB), localizado na capital paulista, e o Centro de Iniciação Esportiva de Franco da Rocha, na região metropolitana. Para o deputado Julio Cesar Ribeiro (PRB-DF), os dois espaços estão cumprindo seus objetivos esportivos e sociais.

“A gente ouviu falar que alguns lugares estão abandonados e outros estão funcionando, então, a gente começou essa série de visitas e, para a nossa surpresa positiva, aqui está funcionando. De tudo o que a gente viu, são experiências muito boas. Tanto o CPB quanto o centro de iniciação estão sendo geridos com recursos públicos. O centro de iniciação foi inaugurado em 2016 e está em plena atividade. Há um número considerável de pessoas que o utilizam: cerca de 800, diariamente”, disse o deputado.

O Centro Paralímpico funciona desde 2016 e recebeu cerca de R$ 150 milhões do governo federal por meio do Plano Brasil Medalhas para abrigar instalações de treinamento, competições e intercâmbio de atletas e seleções em 15 modalidades paralímpicas. Já os centros de iniciação ao esporte surgiram como parte da segunda etapa do PAC, o Programa de Aceleração do Crescimento. A meta era ampliar a oferta de infraestrutura pública de apoio ao esporte, com foco no incentivo à iniciação esportiva em áreas de alta vulnerabilidade social.

Manutenção
O governo federal investiu quase R$ 500 milhões nesses centros, já instalados em 19 municípios do Acre, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Há previsão de outros 15 novos centros de iniciação ao esporte neste semestre. O deputado Raimundo Costa (PR-BA) elogiou o funcionamento da unidade de Franco da Rocha, mas ressaltou a preocupação dos gestores quanto aos custos da manutenção dessas estruturas.

“A preocupação da prefeitura é quanto à manutenção porque é um custo que requer continuidade. Ainda bem que lá, em Franco da Rocha, está sendo efetivada a manutenção, com a contratação de profissionais específicos para a área de educação física. Em particular, a única observação que se faz é a preocupação de que, nos demais, as prefeituras possam assumir efetivamente esses custos para atender a demanda da comunidade”, observou Costa.

O deputado Roberto Alves (PRB-SP)  também participou das diligências em São Paulo. Os parlamentares conheceram ainda o centro de treinamento de atletas de base do São Paulo Futebol Clube, em Cotia, considerado um dos melhores do país. Outras diligências serão realizadas nos próximos dias. Os resultados serão debatidos em audiências públicas da Comissão do Esporte. A primeira está marcada para o dia 29, com foco nos paradesportos.

Agência Câmara Notícias

 

Ações do documento