Tópicos da Entrevista

Entrevista: Leônidas Pires Gonçalves

Entrevistadores: Ana Maria Lopes de Almeida, Tarcísio Holanda, Ivan Santos.

 

Início

Fala sobre sua infância, família e carreira militar.

 

TC 00:05:03

Conta suas experiências na Escola Militar.

 

TC 00:09:49

Fornece sua opinião sobre o governo Dutra e o período turbulento de cassações dos comunistas.

 

TC 00:11:43

Cita argumentos que os militares usavam para instituir a ilegalidade dos partidos comunistas.

 

TC 00:13:38

Relata momentos históricos em que viveu de perto e suas percepções sobre eles.

 

TC 00:17:38

Explica a máxima desenvolvida por ele baseado nas relações internacionais: “A verdade é filha do poder”.

 

TC 00:21:40

Relata a visita a China.

 

TC 00:23:22

Conta quando estava na chefia do gabinete militar dos governos Jânio e Castello.

 

TC 00:28:00

Fala sobre a personalidade de Jânio Quadros e as ações dele na presidência.

 

TC 00:35:11

Conta como os militares receberam a notícia e o que fizeram após a renúncia de Jânio.

 

TC 00:36:35

Fala sobre a intolerância dos militares com Jango por temerem um governo Comunista.

 

TC 00:40:35

Fala sobre a Ditadura no Brasil e sua ligação pessoal com Castello.

 

TC 00:48:48

Argumenta que a Revolução de 1964 tinha vários núcleos de poder: Castello, Ademar de Queiroz, Geisel, Ivan Mendes e o próprio entrevistado.

 

TC 00:52:30

Análises sobre o Governo Castello e a sucessão da Presidência.

 

TC 01:00:00

Cita os dois tipos de comunistas: intelectuais e enxurrada.

 

 

TC 01:00:56

Cita as peculiaridades dos governos Castello e Costa e Silva

 

TC 01:07:15

Argumenta que a violência da Revolução de 64 não existiu e é uma injustiça histórica.

 

TC 01:11:14

Faz uma análise do papel histórico de Lamarka (pejorativo).

 

TC 01:16:09

Fala sobre comunistas e organizações subversivas no período da Ditadura. (cita Hélio Gaspari)

 

TC 01:21:20

Fala sobre o governo FHC, ação de acabar com a inflação e o pouco investimento desse governo nas Forças Armadas.

 

TC 01:30:45

Relata suas experiências como chefe do DOI-CODI no Rio de Janeiro e as torturas do Governo Médici.

 

TC 01:37:29

Fala sobre a Operação Bandeirante para combater a luta armada.

 

TC 01:42:50

O entrevistador diz a máxima: “A guerrilha influencia a abertura política de Geisel.”O entrevistado descorda e argumenta o porquê.

 

TC 01:46:12

Fala sobre a disciplina no DOI-CODI do Rio de Janeiro durante sua chefia.

 

TC 01:49:50

Relata suas experiências na Colômbia e o modo de interrogatório de lá, o qual obtinha informações dando dinheiro. (cita Marco Antônio Coelho).

 

TC 01:56:13

Conta suas experiências na posse do ex-presidente José Sarney.

 

TC 02:04:30

Fala sobre a atuação de Ulisses Guimarães durante a posse de Sarney.

 

TC 02:08:50

Argumenta que na transição de Tancredo Neves para Sarney foi um período relativamente pacífico graças a inteligência do vice-presidente.

 

TC 02:11:00

Relata suas experiências como Ministro do governo Tancredo.

 

TC 02:15:00

Faz percepções pessoais sobre o significado de democracia. (usa teorias de Ciência Política).

 

TC 02:17:30

Argumenta sua visão pessoal sobre a importância da Constituição de 1967 para o povo.

TC 02:20:10

O entrevistado possui amplo conhecimento sobre a Amazônia e vem mostrando a importância dela no cenário internacional.

 

TC 02:36:46

A entrevista é encerrada.

Ações do documento