Tópicos da Entrevista

Entrevista Delfim Neto

 

Entrevistadores: Ana Maria Lopes de Almeida, Tarcísio Holanda, Ivan Santos.

 

Início

Nascido em 1928, em São Paulo. Cursou Contabilidade.

 

TC 00:02:50

Teve os primeiros contatos com a política por meio de uma palestra realizada no Rio de Janeiro sobre agricultura a pedido do presidente Costa e Silva.

 

TC 00:03:50

Foi convidado para ser Ministro da Fazenda por Costa e Silva.

 

TC 00:07:20

Explica como formulou a política econômica para erguer o Brasil; diferente das políticas de Bulhões e Ricardo Campos.

 

TC 00:14:50

Reunião ministerial no governo Costa e Silva para decidir sobre o processo de crescimento brasileiro.

 

TC 00:16:37

Crescimento econômico da década de 70 foi baseado em dois pontos: ótimas taxas e equilíbrio baseado no mercado externo.

 

TC 00:19:10

Instituição do ICMS no governo Costa e Silva. (13/03/67)

 

TC 00:22:36

Conta que o AI-5 forçava os governadores a aceitarem as diretrizes econômicas formuladas pelo governo.

 

TC 00:27:20

Conta que com a chegada dos militares no governo em 1964, havia uma instabilidade econômica e uma prova disso seria a oscilação do PIB.

 

TC 00:28:30

Crises do petróleo e suas repercussões na economia mundial e nacional.

 

TC 00:35:00

Explica como a crise na economia dos Estados Unidos afetou a economia mundial, principalmente os países subdesenvolvidos.

 

TC 00:41:30

Explica a estagnação econômica vivida durante as décadas perdidas de 80 e 90.

 

TC 00:46:57

Havia um imaginário no período militar de Brasil como futura potência mundial, difundida pelos governantes.

 

TC 00:53:00

Segundo o entrevistado, o Brasil tem condições de melhorar, pois há o interesse dos brasileiros. No entanto, deve-se fornecer condições necessárias para isso.

 

TC 00:57:10

Discute que a economia estava defasada quando começou o governo Lula, devido a dependência externa.

 

TC 01:01:30

Cita livro de Hélio Gaspari e arquivos fornecidos por Geisel sobre o período da Ditadura Militar. Fornece-nos sua visão pessoal deste momento histórico.

 

TC 01:03:45

Explica que durante o governo Médici o PIB cresceu 14% e a economia estava forte, no entanto mal distribuído os recursos entre a população.

 

TC 01:09:15

Argumenta que o governo Geisel soube enfrentar bem a crise do petróleo.

 

TC 01:11:50

Fala sobre o Milagre Brasileiro e as ações de Bulhões na economia nacional nesse momento histórico.

 

TC 01:14:55

Explica que o crescimento econômico brasileiro ocorreu com a ajuda estatal, substituição de importações e aliança público privado.

 

TC 01:21:08

Explica o papel crucial do Estado para garantir o desenvolvimento. Cita o desenvolvimento da soja e da agricultura nacional financiados pelo Estado.

 

TC 01:26:00

Explica a importância do fornecimento de subsídio e de crédito estatais para desenvolver a produção de equipamento agrícola nacional.

 

TC 01:30:40

O entrevistado diz que devido a má administração governamental não se conseguiu manter o crescimento econômico nos mesmos índices do Milagre Brasileiro.

 

TC 01:35:20

Fala sobre a privatização e suas repercussões na política nacional. Estatais foram destruídas com Diretas já.

 

TC 01:38:00

O entrevistado diz que o Brasil hoje não tem potencial para atingir os mesmos níveis que no período do Milagre Brasileiro, pois atualmente há alta dívida e pouco investimento.

 

TC 01:44:36

No governo dos militares a política e a economia eram bem separadas segundo o entrevistado.

 

TC 01:51:50

Explica porque Geisel não queria o entrevistado na administração de São Paulo (governo).

 

TC 01:57:00

Explica as querelas que tinha com Saraiva na Embaixada de Paris.

 

TC 02:01:20

Fala sobre a Operação Bandeirante.

 

TC 02:06:20

Ele diz que havia um programa democrático no governo Costa e Silva para o Brasil, mas era evitado pela linha dura.

 

TC 02:12:20

Conta suas querelas com Afonso Albuquerque Lima.

 

TC 02:14:40

Sucessão de Costa e Silva poderia ter sido um civil, segundo o entrevistado.

 

TC 02:18:24

Comenta a situação de crise do Brasil nos anos 80 e as querelas que o entrevistado teve com Carlos Mesquita (Ministro do Planejamento).

 

TC 02:26:34

Ele ressalta a importância da democracia para harmonizar as crises nos países e possibilitar a aplicação de políticas econômicas.

 

TC 02:28:30

Ressalta a importância das Ciências Econômicas para o desenvolvimento dos países.

 

TC 02:35:05

Cita as construções de Carajás, Tubarão, Itaipu, e Tucuruí como formas de investimentos do governo para garantir o crescimento do Brasil.

 

TC 02:44:30

O entrevistado nega a máxima “O Brasil se endividou para crescer.” e diz que o endividamento ocorreu devido ao investimento do governo.

 

TC 02:47:00

Fornece sua opinião pessoal sobre o futuro político do Brasil e o governo Lula.

Ações do documento