Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Página Inicial / Comunicação / Rede Legislativa de Rádio e TV / Notícias / Tevês e rádios legislativas discutem integração

Tevês e rádios legislativas discutem integração

24/08/2017 00h00

Tevês e rádios legislativas discutem integração

Gisele Rodrigues e Wanderley Oliveira

Educação à distância. Acessibilidade. Grade de programação. Políticas de Comunicação. Novos canais. Os temas foram discutidos no "Seminário Legislativo de Rádio e TV Digital", nos dias 22 e 23 de agosto, promovido pela Assembleia Estadual de São Paulo em parceria com a Rede Legislativa de Rádio e TV e a Astral - Associação Brasileira de Televisões e Rádios Legislativas.

Gisele Rodrigues, coordenadora da Secretaria de Comunicação da Câmara dos Deputados, comenta a importância do evento: “Tevês e rádios do Poder Legislativo estadual e municipal têm, nestes seminários, a oportunidade de trocar experiências, e as câmaras municipais de se informar sobre todo o processo para compartilhar um canal com a Câmara dos Deputados.”

Segundo o diretor de comunicação da Alesp, Matheus Perez Granato, é hora de as emissoras legislativas também integrarem conteúdos, e não apenas infraestrutura. É nisso que a Alesp vai trabalhar no próximo ano, para fazer jornalismo com a participação das TVs Câmara do interior do Estado. A expansão da Rede Legislativa de Rádio e TV, entretanto, encontra algumas barreiras físicas, como explica o representante do Ministério das Comunicações, Rodrigo Gebrim: "Os canais fazem parte do espectro de radiodifusão, que é finito e está cheio em algumas localidades. Mas, com a migração da tevê analógica para a digital, surge a possibilidade de abertura de outros canais."

Para atender a demandas de acessibilidade, foi apresentada no Seminário a Suíte VLibras, projeto da Universidade Federal da Paraíba. O professor Carlos Eduardo Coelho Freire Batista mostrou que, em breve, os meios de comunicação serão capazes de traduzir automaticamente a língua portuguesa de textos, áudios e vídeos para Libras - Língua Brasileira de Sinais.

 “Todos os parceiros devem adotar o closed caption, que traduz em texto o que está ocorrendo e sendo dito na televisão, e a audiodescrição, que vai informando por áudio o que não pode ser visto. São ações de inclusão a priorizar”, afirmou a coordenadora da Rede Legislativa, Evelin Maciel.

O evento contou também com a presença da secretária de Comunicação do Senado, Angela Brandão, e do presidente da Associação Brasileira de Televisões e Rádios Legislativas - Astral, Wanderley Oliveira.

 

Estado de SP