Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/03/2014 15h57

Dep. Leonardo Picciani (PMDB-RJ) defende cotas para negros em concursos

O projeto que institui uma cota de 20% para negros nos concursos públicos é polêmico e tem provocado debates acalorados na Câmara e fora dela. O deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), relator do projeto, é a favor e levanta a própria Constituição para defendê-lo.

Incorporar:
A visualização e/ou o uso deste material está condicionada pelos Termos de Uso do Câmara Notícias.

O tema é polêmico e tem provocado debates acalorados na Câmara e fora dela. Trata-se do projeto que institui uma cota de 20% para negros nos concursos públicos.

O deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), relator do projeto, é a favor e levanta a própria Constituição para defendê-lo. Na interpretação dele, a Constituição traz a questão da desigualdade racial para o plano material e indicaria que o Estado tem de atuar para fazer o resgate histórico.

Mas os concurseiros pensam de forma diversa e entendem que cota para os negros pode se constituir em privilégio, porque iria contra a meritocracia, ou seja, o princípio pelo qual o mérito — e não a cor da pele — é que deveria balizar o ingresso no serviço público. O deputado Leonardo Picciani participa deste programa.




Comentários

Pedro | 17/03/2014 12h15
As cotas nos concursos públicos não acabam com a meritocracia porque todas as pessoas que vão entrar estarão sujeitas a todas as provas que são pedidas: provas teóricas, provas de títulos, a depender do caso, também se submeterão à entrevistas. Isso quer dizer que os critérios vão permanecer. Não haverá uma flexibilização de critérios para poder beneficiar os negros.
joel | 15/03/2014 11h45
Quem não é negro, nem índio como fica ? para onde vai a meritocracia ? a meu ver, cotização para determinadas classes de pessoas, é a materialização do racismo. O Brasil está deixando de ser um País de todos para tornar-se um país de alguns.