Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

25/11/2014 21h30

Aborto é um dos principais causadores de mortes maternas no Brasil

Estima-se que 7,4 milhões de brasileiras já fizeram pelo menos um aborto

Incorporar:
A visualização e/ou o uso deste material está condicionada pelos Termos de Uso do Câmara Notícias.

No Brasil, cerca de 800 mil mulheres praticam abortos todos os anos. Dessas, 200 mil recorrem ao SUS para tratar as sequelas de procedimentos malfeitos. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a situação pode ser ainda mais alarmante: o número de abortos pode ultrapassar um milhão de mulheres.

O aborto é o quinto maior causador de mortes maternas no Brasil. Segundo um estudo publicado em 2013, uma a cada cinco mulheres com mais de 40 anos já fizeram, pelo menos, um aborto na vida. Hoje existem 37 milhões de mulheres nessa faixa etária, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessa forma, estima-se que 7,4 milhões de brasileiras já fizeram pelo menos um aborto.

Para debater esse assunto tão polêmico, o Expressão Nacional traz os convidados:

Dep. Arolde de Oliveira (PSD-RJ);
Dep. Rosane Ferreira (PV-PR);
Lenise Garcia, doutora em microbiologia e professora da Universidade de Brasília;
Soraia Rosa Mendes, doutora em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília.

 

Apresentação — Maristela Sant’Ana



Comentários

SORAYA ARRUDA | 13/07/2018 16h12
A mulher e dona do corpo dela, não do corpo que está dentro dela. A Lei por a salvo o Direito do nascituro! Precisamos conscientizar a Sociedade sobre o fato de que sexo tem que ser feito com responsabilidade. Só engravida quem quer e quem infelizmente sofre aviso sexual. Aborto não é a solução é não concordo que tenhamos que financiar assassinatos. A vida começa na concepção e com 10 dias o coraçãozinho está batendo. Precisamos de políticas públicas que incentivem a adoção e não o aborto.
Pâmela | 26/11/2014 16h10
Roberlan, se você ou eu tivéssemos sido abortados, outra pessoa faria o debate. Cabe à mulher decidir se quer levar uma gravidez adiante ou não, visto que a maior parte delas são responsáveis pela família (sustento e suporte).Não admito o fato de todos meterem o bedelho numa decisão que cabe somente a ela. Porém, não acho correto uma mulher com tanto meios contraceptivos que há (inclusive grátis), não se prevenir. Legalizar o aborto não significa que todas as mulheres devem abortar, mas sim assegurar aquelas que pretendem fazer sem que corram risco de morte e de financiar a clandestinidade.
ROBERLAN JULIÃO DA SILVA | 25/11/2014 22h14
Entendo a preocupação com a saúde da mulher, mas, que tal um movimento social e político, com suporte midiático para promover relacionamentos saudáveis entre as pessoas em vez de incentivar o sexo irresponsável, através dos apelos que nos assaltam midiaticamente a cada dia. E, vale ressaltar que, se estamos pensando este tema é porque não fomos abortados e temos a chance de criticar e defender o aborto.