Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto
Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > TV Câmara > Câmara Informa > Série sobre o lixo: a importância da separação do lixo caseiro
14/04/2009 00:00

Série sobre o lixo: a importância da separação do lixo caseiro

    • Conexão padrão(320x240)
    • Baixar padrão(320x240)
    • Conexão alta(720x480)
    • Baixar alta(720x480)
    • Enviar este vídeo
    • Incorporar:

Para assistir ao vídeo, você precisa ter instalado o Windows Media Player (ou VLC).
Ao baixar e usar o vídeo, você automaticamente declara estar de acordo com o Termo de Uso.

:: BAIXE E USE - VÍDEO EM ALTA RESOLUÇÃO ::

Separar o lixo seco do lixo orgânico. Essa atitude simples e diária, que todo mundo pode adotar em casa, tem tudo para facilitar a vida de quem trabalha com a coleta seletiva. E não é só isso: a separação correta contribui também para reduzir a contaminação do meio ambiente e para evitar a disseminação de doenças.
A família de Renata é exemplo a ser seguido na separação do lixo. Não só tem lixeiras diferentes para o material orgânico e para o lixo seco, mas também separa todos os items que fazem parte do lixo seco: de papéis até caixas de suco.


O descarte seletivo não é obrigatório, mas cada vez mais pessoas e até empresas e condomínios já adotaram a medida.


Mas nem sempre é assim. Das 130 mil toneladas de lixo produzidas nas grandes cidades todos os dias, menos de 40% vão pra aterros adequados. Quando chega lá, o lixo é separado, e se a reciclagem já tiver sido feita antes, o trabalho dos catadores é facilitado.


A grande maioria do lixo, cerca de 60%, no entanto, vai parar em lixões a céu aberto - o que é crime ambiental. O solo é contaminado pelo chorume, líquido tóxico que vem do lixo e o gás metano, liberado pela decomposição da matérica orgânica, contamina o ar. Nesses lixões, catadores e até crianças ficam expostos a todo tipo de doença.


Em 2007, o Governo encaminhou ao Congresso uma proposta de Política Nacional de Resíduos Sólidos. O texto, que ainda está sendo analisado pelos parlamentares, proíbe a existência de lixões e a queima do lixo a céu aberto. Além disso, responsabiliza todos, pessoas e empresas, pela reciclagem do lixo, até que a coleta seja feita.




  • TV Câmara
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619