Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto
Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Rádio Câmara > Últimas Notícias > CCJ vai analisar projeto que reduz jornada dos garis para 6 horas diárias

06/07/2012 18:01

CCJ vai analisar projeto que reduz jornada dos garis para 6 horas diárias

Garis poderão ter jornada de trabalho fixada em 6 horas diárias e 36 semanais. Atualmente, os profissionais devem cumprir jornada normal de no máximo 8 horas diárias.

O horário especial, que também inclui os motoristas de veículos coletores de lixo, está previsto no projeto (PL 1590/11) do deputado Roberto Santiago (PV-SP), em análise na Câmara.

De acordo com o Roberto Santiago, as condições de trabalho justificam a jornada diferenciada.

"Eles, por exemplo, na cidade de São Paulo, um dos maiores centros do País, e outras cidades não se dá de maneira diferente, correm atrás desses caminhões por volta de 25, 30, 35 quilômetros por dia. Isso está constatado. Isso consta dos mapas das empresas que fazem a coleta de lixo na cidade de São Paulo. Esses trabalhadores têm distensão muscular, problemas sérios de saúde por conta dessa atividade, que é uma atividade penosa."

A proposta foi bem recebida pelos profissionais. Elmo Nicácio tem 36 anos e trabalha com coleta de lixo há 17, na cidade de São Paulo. Ele confirma as dificuldades do trabalho.

"Para nós vai ser maravilha. Pelo trabalho que a gente faz, pela correrria, pelos perigos que a gente corre na rua. Acho que vai dar uma folga para gente ficar com a nossa família."

Já o  presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana, Ariovaldo Caodaglio, chama a atenção para o custo econômico e ambiental da redução da jornada dos coletores de lixo.

Segundo ele, a jornada hoje é de 7 horas e 20 minutos, com uma hora de descanso. A partir disso, foi feita toda uma programação de coleta, levando em conta cenários distintos, conforme o tamanho e a complexidade do trânsito das cidades. Para Ariovaldo Caodaglio, a alteração do horário vai trazer transtornos por conta da necessidade do aumento da frota. Ele não descartou a substituição de mão de obra.

"Se chega cada vez mais próximo da possibilidade de introdução de novas tecnologias de coleta que começarão a partir daí, como em países europeus e já no Brasil, em cidades do Rio Grande do Sul e do estado de São Paulo, a própria mecanização da coleta, com a redução do trabalhador, que hoje está sendo defendida, me parece, pela boa intenção do deputado Roberto Santiago."

O projeto que reduz de 8 para 6 horas diárias a jornada de trabalho dos coletores de lixo já foi aprovado na Comissão de Trabalho e agora segue para análise na Comissão de Constituição e Justiça.

De Brasília, Idhelene Macedo.




  • Rádio Câmara
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619