20/12/2018 15h25

Câmara lança Frente Parlamentar em Defesa da Pesquisa em Biologia Experimental

A frente terá o objetivo de conscientizar sobre pesquisas nas áreas de biologia e medicina experimental, que muitas vezes se utilizam de animais e do próprio corpo humano

Foi lançada nesta quinta-feira (20) a Frente Parlamentar em Defesa da Pesquisa em Biologia Experimental. Uma demanda da Federação de Sociedades de Biologia Experimental, a frente terá o objetivo de conscientizar os parlamentares da importância da pesquisa nas áreas de biologia e medicina experimental, que muitas vezes se utiliza de animais e do próprio corpo humano.

No Brasil, o uso de animais em pesquisas científicas é regulamentado pela Lei Arouca (11.794/08), mas pesquisadores acreditam que ainda existe muita incompreensão quanto ao assunto, o que pode levar a atos como a destruição de laboratórios por militantes da causa de defesa dos animais.

Segundo o deputado Celso Pansera, do PT do Rio de Janeiro, coordenador da frente, o Congresso terá agora a oportunidade de fazer o debate correto sobre o que é ético ou não no uso de animais ou na pesquisa com células-tronco, por exemplo.

"É uma fronteira nova da ciência que gera melhorias e qualidade de vida, gera conhecimento, gera economia, novos remédios. O Brasil não pode perder esse debate."

Secretário da Federação de Sociedades de Biologia Experimental, Marcel Frajblat, ressaltou que a pesquisa na área não se dá unicamente com animais.

"A gente está falando de pesquisas em genética, genética humana, pesquisas em neurociências, neurociências humanas. A gente está falando de pesquisa na área de biologia celular, que a gente trabalha com células provenientes de seres humanos e de animais."

A frente conta com 215 parlamentares e deverá funcionar de fato a partir de fevereiro de 2019, quando se inicia a próxima legislatura.

Reportagem - Noéli Nobre