Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

05/11/2018 13h31

Nova Câmara dos Deputados terá novamente a presença de presidentes de partidos entre seus integrantes

Os dirigentes partidários eleitos tomam posse apenas em fevereiro, mas a conciliação entre as demandas do próprio mandato e as dos demais membros da bancada é um desafio que começou antes, ainda na campanha

Entre os deputados eleitos, alguns tiveram que conciliar a campanha com a presidência de seus partidos. Se, por um lado, isso traz mais visibilidade para os seus nomes; por outro, é preciso lidar com as dificuldades dos demais candidatos. O deputado eleito Marcos Pereira, presidente nacional do PRB, conta essa experiência:

"Você tem que ter equilíbrio para conciliar os interesses do partido e os interesses da sua disputa, da sua eleição. E além do mais, eu sou presidente nacional do partido. Então, durante o período de campanha, sempre tinha demandas, ligações, interlocuções com vários estados do Brasil, o que torna fisicamente, mentalmente, mais desgastante."

O deputado reeleito Luis Tibé preside o Avante, antes Partido Trabalhista do Brasil, desde 2006 e já vai para o seu terceiro mandato na Câmara. Também o deputado Paulo Pereira da Silva preside o partido Solidariedade e a Força Sindical e cumprirá o quarto mandato na Câmara.

A senadora pelo PT do Paraná Gleise Hoffmann assumiu a presidência do seu partido em 2017. Ela vai cumprir seu primeiro mandato na Câmara e também mostra as dificuldades da campanha:

"Tendo que tocar uma campanha eleitoral para a Presidência da República e para a eleição de governadores, senadores, deputados. Mas faço um balanço positivo do resultado do PT. Hoje nós somos a maior bancada na Câmara dos Deputados, apesar de toda a política de desconstrução do partido. Reelegemos governadores. Então isso mostra a força política do PT."

O PT também conseguiu eleger deputado federal um ex-presidente do partido, Rui Falcão. Ele presidiu o PT entre 2011 e 2017, sendo que boa parte deste período foi acumulada com o mandato de deputado estadual por São Paulo.

Já o PSL, partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro, conseguiu eleger como deputado federal o novo presidente da agremiação, Luciano Bivar, por Pernambuco. Ele esteve afastado da presidência do PSL durante a campanha, quando foi substituído por Gustavo Bebbiano.

Reportagem - Sílvia Mugnatto