Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

16/05/2018 21h28

Técnicos do governo defendem privatização da Eletrobras; deputados da oposição criticam a proposta

Segundo técnicos do Ministério de Minas e Energia, desestatização vai modernizar o setor elétrico e reduzir tarifas

Representantes do governo e da oposição discordaram nesta quarta-feira, em audiência pública na Câmara dos Deputados, sobre a proposta de desestatização da Eletrobras, tema de um projeto de lei (9463/18) do Poder Executivo. Técnicos do Ministério de Minas e Energia afirmaram que a desestatização vai modernizar o setor elétrico e reduzir tarifas. Já os parlamentares do PT e do Psol disseram que a privatização, se for aprovada, prejudicará o desenvolvimento do País e causará um grande aumento das contas de energia pagas pelos consumidores finais. O debate foi promovido pela comissão especial encarregada de analisar o projeto.

O presidente em exercício da Empresa de Pesquisa Energética, José Mauro Ferreira, disse que a modernização proporcionada pela desestatização irá aumentar a competividade e a transparência da área elétrica e poderá reduzir os preços das tarifas:

"Então, na verdade a EPE sempre busca esse menor custo total, sistêmico, levando como objetivo final o menor custo ao consumidor."

O deputado Paulão, do PT de Alagoas, afirmou que, se a Eletrobras for privatizada, nenhuma empresa irá assumir programas sociais como o "Luz para Todos", e assim dificilmente a energia elétrica chegará às áreas mais pobres do Brasil:

"A sociedade, inclusive em pesquisa qualitativa, ela rejeita essa privatização, porque compreende que essa privatização é um processo que lesa a Pátria."

O deputado Glauber Braga, do Psol do Rio de Janeiro, afirmou que a desestatização atende a interesses escusos. E para a deputada Erika Kokay, do PT do Distrito Federal, o governo tenta enganar o povo brasileiro ao alegar que a desestatização reduzirá as tarifas de energia.

Os argumentos da oposição não foram rebatidos por parlamentares da base governista durante a audiência, que também teve a participação de representantes dos trabalhadores do setor elétrico e de estudiosos da área.

Reportagem - João Pitella Junior