27/04/2018 09h07

Aumenta número de notificações de casos de violência contra mulher no Brasil

Dados foram apresentados durante reunião da Comissão Mista de Combate à Violência contra a Mulher

No Brasil, o número de notificações de casos de violência contra mulheres subiu de 75 mil em 2011 para 211 mil em 2017. Os dados foram apresentados durante reunião da Comissão Mista de Combate à Violência contra a Mulher.

Segundo a representante do Ministério da Saúde, Cheila de Lima, esses números aumentaram porque, desde 2011, existe a obrigatoriedade de notificação de violência doméstica e sexual por parte dos profissionais de saúde e de escolas públicas.

Para ela, ter dados é o primeiro passo no combate à violência contra a mulher dentro e fora de casa, mas é preciso uma ação coordenada entre a Justiça, o Ministério da Saúde, o Ministério da Educação e representantes da sociedade civil para que os casos sejam erradicados, como já acontece em alguns estados na Casa da Mulher Brasileira.

Cheila de Lima defende a criação de espaços de atendimento integrado para as mulheres vítimas de violência.

"Criar ou fortalecer os espaços onde a mulher resolva suas necessidades ali. Porque se ela chega no serviço de saúde e conta uma história. Ela tem que chegar na assistência social e contar a mesma história. Tem que chegar nas delegacias e contar a mesma história. Para cada história contada ela sofre uma violência. Então a gente precisa estruturar os nossos serviços para que todas as portas de entrada dêem respostas às reais necessidades das mulheres vítimas ou em situação de violência."

A deputada Flávia Morais, do PDT goiano, afirmou que, por se tratar de um problema cultural, a violência contra a mulher precisa ser combatida em várias frentes.

"Para além das medidas com penas mais graves, para além das medidas protetivas, do tratamento do agressor, do tratamento das vítimas, nós precisamos fazer uma mudança cultural. Então muitas vezes o homem pela sua própria criação tem dificuldade de conviver com essa mulher moderna. E cada vez mais ela tem se tornado independente então ela não suporta se o relacionamento não estiver bem ela larga e ela parte para outro e é isso que muitas vezes é o fato que causa o feminicídio, que causa a violência."

Dados da ONU (2013) mostram que 35 por cento das mulheres do mundo são vítimas de violência física ou sexual. No Brasil, de 2011 a 2015 foram registrados 5733 óbitos de mulheres vítimas de violência. Deste total, 63 por cento dos casos aconteceram dentro de casa, e 19 por cento das vítimas tinham histórico de repetição da violência.

O representante da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Rafael Rocha, destacou que é preciso identificar os casos de feminicídio de forma correta e, para isso, os profissionais de segurança pública vêm sendo treinados para identificar essas ações.

Atualmente, 30 mil profissionais de segurança estão sendo treinados, e segundo Rafael Rocha, onde houve aplicação efetiva da Lei Maria da Penha, com a adoção das medidas protetivas para as vítimas, os casos notificados não acabaram no homicídio das mulheres.

Reportagem - Karla Alessandra