Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

08/02/2018 15h05

Deputado sugere fechamento temporário da fronteira Brasil-Venezuela

Segundo Remídio Monai (PR-RR), Roraima não tem mais condições de receber refugiados. Hoje, estimativas apontam que cerca de 40 mil venezuelanos moram atualmente em Boa Vista

Deputado de Roraima alerta para situação crítica com a chegada de imigrantes venezuelanos ao estado e sugere o fechamento da fronteira. Uma comissão de ministros do governo federal foi ao estado nesta quinta-feira (8), onde se encontrou com autoridades na Base Aérea de Boa Vista.

Os ministros Torquato Jardim, da Justiça; Raul Jungmann, da Defesa; e Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional, foram a Roraima a caminho de missão oficial no Suriname. Os ministros tinham marcado reunião para a manhã desta quinta-feira com a governadora do estado, Suely Campos, no palácio do governo. Mas a comitiva transferiu o encontro para a Base Aérea de Boa Vista.

A governadora não gostou nada da decisão, e se recusou a comparecer: disse que não iria discutir um assunto tão importante no saguão de um aeroporto.

Hoje, as estimativas apontam que cerca de 40 mil venezuelanos moram atualmente em Boa Vista, o que representa 12% da população. Segundo a Polícia Federal, só no ano passado 16 mil venezuelanos entraram com pedido de refúgio em Roraima.

Os refugiados chegam ao país principalmente pela cidade fronteiriça de Pacaraima, fugindo da crise desencadeada por fatores como queda do preço do petróleo, alta da inflação e escassez de alimentos.

De acordo com o deputado Remídio Monai, do PR de Roraima, o estado não tem mais condições de receber os refugiados. Ele sugere o fechamento temporário da fronteira, e pede que o governo federal redistribua os refugiados:

"40 mil pessoas, a nível de Brasil, que tem 200 milhões de habitantes, não são praticamente nada, mas quando você coloca 40 – e nós achamos que aqui tem umas 70 mil pessoas numa cidade de 300 mil habitantes – as praças estão tomadas, os hospitais estão tomados, então, virou o caos a cidade. Nós propomos ao presidente que ele fechasse a fronteira provisoriamente e buscasse uma solução para esse problema."

O deputado Orlando Silva, do PCdoB de São Paulo, relatou na Câmara a nova Lei de Migração (13.445/17), que prevê, entre outros pontos, a garantia dos direitos dos migrantes em condição de igualdade com os nacionais. Ele discorda da ideia de fechamento de fronteiras:

"Eu considero um absurdo, eu considero que é uma proposta xenófoba, que deveria ser excluída da mesa. Nós assistimos na Europa alguns países que tentaram fechar as suas fronteiras. Primeiro que só aumenta a crise, porque você vai ter uma barreira de contenção, vai continuar tendo um fluxo de pessoas para a região de fronteira, vai se criar um ambiente de tensionamento muito forte e, na prática, isso não vai acontecer."

Para Orlando Silva, a solução para o problema precisa ser negociada com países amigos da Venezuela, como Colômbia e Brasil, de forma a garantir os direitos dos migrantes sem sacrificar a população brasileira.

Reportagem - Paula Bittar



Comentários

Claudio Souza | 09/02/2018 11h19
O regime venezuelano já provou não conseguir resolver seus conflitos e os países do Mercosul já deveriam ter intervindo na Venezuela: essa crise não se resolve dando abrigo aos venezuelanos, principalmente, porque não existe controle do tipo de indivíduo que cruza nossas fronteiras, além do próprio Brasil também viver crise política/econômica. Já passou da hora das nossas fronteiras se fecharem para o regime de Maduro que, aliás, expulsou o nosso embaixador do país. Controle de nossas fronteiras é uma medida urgente!É inadmissível o BR pagar a conta da incompetência politica venezuelana!